Em 15 de setembro do ano passado, uma terça-feira pela manhã, realizamos na sala de reuniões, no segundo andar do estádio Urbano Caldeira, o primeiro encontro para falar do Centenário do Santos. Trouxe comigo uma síntese das sugestões que recebi dos torcedores, fiz a explanação das mesmas e entreguei cópias aos presentes.

Compareceram à reunião Zé Geraldo, Alex Fernandes, Mônica e Lucas, do Marketing do clube; Aldo Neto, da Comunicação; Adriane, de Eventos; Michele, do Memorial, e Alemão, responsável pela produção de festas e outros eventos do clube. José Carlos Peres, superintendente na capital, não pôde comparecer por ter uma reunião em São Paulo no mesmo horário, mas um dia antes fiz uma reunião com ele e trouxe suas sugestões.

O objetivo do encontro era analisar as sugestões recebidas pelos torcedores e aprová-las ou não. O resultado foi excelente, pois mais de 90% das sugestões foram aprovadas. E o interessante é que a maioria das idéias não dependia de grandes investimentos, exigiam apenas disposição e trabalho.

A seguir, reproduzo o que foi discutido e aprovado na primeira reunião de diretoria do Santos que tratou do Centenário do clube.

Homenagem a Pelé

Foi rejeitada a idéia de se retirar a camisa 10 do uniforme do Santos. O argumento é que jogar com a camisa número 10 do Santos é um apelo a mais que pode atrair grandes jogadores ao time.

Quanto ao Pelé atuar em uma partida oficial, ele poderia entrar em um jogo mais tranqüilo e cobrar as faltas e o pênalti. Se, aos 72 anos (idade que terá em 2012), ele marcar um gol, será o feito mais comentado no mundo.

A idéia da camisa é do Peres. Ele acha que a camisa do Centenário deve ser toda branca, sem patrocínio, como a do título mundial de 1962, e com a assinatura do Pelé. Creio que com uma boa campanha de divulgação e se ela for lançada durante todo o ano, é possível vender centenas de milhares de camisas. O patrocínio da camisa do Centenário do Santos terá de ter, obrigatoriamente, um valor diferenciado.

Jogos amistosos contra equipes contra as quais o Santos foi campeão, como Milan, Benfica, Peñarol, Boca Juniors.

Idéia aprovada, desde que os amistosos sejam organizados com muito critério. Todos aprovaram a sugestão de que o Santos jogue nas regiões onde tem mais torcedores. Não podemos nos esquecer do Paraná, segundo Estado com mais santistas no Brasil.

Show Santista

No Pacaembu e/ou na Vila Belmiro, só com músicos santistas, como Zeca Baleiro, Renato Teixeira, Titãs, Charlie Brow Junior, Racionais, Fábio Junior, Guilherme Arantes, Arnaldo Antunes, Jair Rodrigues, Tony Tornado, Supla…

Eu sugeri que também possa ser feito no Interior de São Paulo e no Norte do Paraná, em Maringá ou Londrina.

Brindes

As sugestões das réplicas miniaturizadas de troféus foram bem recebidas pelo Marketing. Que santista não quer ter uma réplica do primeiro título mundial do Santos? Quanto às réplicas dos grandes ídolos, dependeria de os jogadores abrirem mão ou não exigirem royalties muito altos.

Relógios para a Contagem Regressiva

Sugeriu-se dois grandes relógios: um na entrada da cidade e um na Praça Independência. Se possível, um terceiro na Vila Belmiro. Devem ficar em lugares de grande fluxo de pessoas.

Comemoração Mundial – Reveillon Santista

Aprovada com entusiasmo a idéia de se festejar o momento exato do Centenário – 14 horas de sexta-feira, 14 de abril de 2012 – como o nosso maisimportante Reveillon, com fogos, champanhe etc. Serão conectados santistas do mundo todo com skype, vídeo-conferência etc.

Romaria, Carreata, Barqueata

Aldo Neto sugeriu que a romaria comece no local onde o Santos foi fundado, no centro da cidade, e siga até a Vila Belmiro. No mesmo momento descerá uma carreata de São Paulo. Do mar, também virão os barcos. Esta multidão terá um evento no estádio, que pode ser o show santista.

Apoio/parceria com a Prefeitura de Santos

O Dia do Santos já existe, mas o feriado ainda não. Todos concordaram que o símbolo do Santos na entrada da cidade precisa mudar. A prefeitura se comprometeria com uma grande queima de fogos no momento do centenário do clube.

Cruzeiro Santista

Viagem de navio pela costa brasileira com a presença dos campeões mundiais e shows com músicos santistas (Charlie Brow Junior, Fábio Junior, Zeca Baleiro). Há navios interessados no evento. O passageiro tomará ao menos uma refeição na mesma mesa de um grande ídolo do Santos, como Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pepe, Clodoaldo, Edu…

Campanha para chegar a 100 mil sócios

Nome sugerido para a campanha: “100% Santos”

Envio de uma camisa do Centenário para cada sócio.

Comentário: A idéia da campanha “100% Santos” é que o torcedor que não é sócio não é 100% santista. Usa-se o número 100 para lembrar o Centenário. Se cada um ganhar uma camisa oficial, ou uma camisa do Centenário, a campanha será um sucesso. Ela poderá se iniciar em abril de 2011, pois o ano do Centenário já começa em 14 de abril de 2011.

Moedas e Selos

José Geraldo, diretor de Marketing, ficou com a incumbência de fazer contatos com a Casa da Moeda para que o Santos tenha o selo comemorativo dos 100 anos.

Longa Metragem – DVD

A Fox Filmes se ofereceu para fazer um filme por ano do Santos, até 2012 (já estava tudo certo até o final do ano passado, mas o contato com a Fox precisa ser retomado urgentemente).

Festival de Curta-Metragem

Entrei em contato com o consagrado diretor de cinema e santista Fernando Meirelles, mas, infelizmente, ele não pode ser o presidente de um festival de curta-metragem sobre o Santos. No entanto, me indicou outros profissionais que podem assumir esse cargo.

Hino

Zeca Baleiro, que entrevistei para o livro “Ser Santista”,  gostou da idéia de compor o hino do Centenário. O fato de o Zeca compor o hino não impede, porém, que se faça um grande festival de música cujo tema será o Santos. O festival terá eliminatórias nas cidades com grande contingente de santistas (Maringá, Lodnrina, Osasco, Guarulhos, São Paulo, Santos) e finalíssima em Santos. Será produzido um CD e um DVD do evento.

Ópera

Gilberto Mendes, é uma das maiores expressões da música erudita no mundo e mora em Santos. Ele tem uma peça chamada “Santos Foot ball Music” e quer fazer uma pequena ópera em um jogo do Santos, usando tenores e a Torcida Jovem. É uma ótima idéia e terá grande repercussão.

O Aldo lembrou que uma companhia de teatro de Santos se interessaria em levar uma peça com a história do Santos.

O Alemão completou dizendo que o Centenário também será tema de escola de samba.

Evento Social

Ao invés da festa blacktie no Mendes Convention Center, de Santos, os presentes à reunião preferiram aprovar uma festa blacktie no próprio campo da Vila Belmiro, que receberá piso especial, cobertura, ar condicionado e será decorado e preparado para isso. Ficará mais típico e o clube economizará.

Torcedores-símbolo

Aprovou-se a escolha de 100 torcedores para serem homenageados na Vila Belmiro (não figurões, mas gente do povo, como aquele garotinho que gritava “gol do Santos” no Youtube). Sugeriu-se que santistas de todo o Brasil participem de uma enquete para escolher os 100 torcedores-símbolo do clube de diversos cantos do País.

Campanha para enriquecer o Acervo

Decidiu-se pela organização de uma campanha de doação de artigos históricos ao clube. O torcedor será estimulado a colaborar enviando fotos e material histórico para o Memorial das Conquistas. Com esse material excedente seriam organizadas exposições itinerantes do Santos.

Concurso Nacional para a escolha do logo e do slogan do Centenário.

Idéia aprovada com louvor. Ao invés de se contratar uma agência de publicidade para isso, a opinião é de que se deve criar concursos para escolher o logo e o slogan do Centenário. Estabeleceu-se que se buscaria para dar prêmios aos vencedores dos concursos.

Dirigível sobre Santos e São Paulo com o símbolo do clube

Idéia aprovada imediatamente.

Mastro e Bandeira Gigante na Vila Belmiro, CT ou em um local alto da cidade

Idéia a princípio rejeitada, pois depende de muitos estudos de viabilidade.

Documentário sobre o Santos na tevê

Aprovado. Seria buscada uma parceria.

Pacotes turísticos em parceria com hotéis de Santos para visitação da cidade no ano do Centenário

A ser implementado desde já, pois depende também do apoio da prefeitura de Santos e/ou São Vicente.

Calçada da fama

Idéia aprovada. O Santos tem uma calçada com estrelas, mas não é uma calçada da fama, com lugar para marcar os pés dos nossos craques.

Votação pública para decidir o terceiro uniforme do Centenário

Idéia rejeitada pelo marketing, pois a camisa pirata iria com muita antecedência para o mercado e prejudicaria a venda.

Venda de azulejos no estádio com foto e/ou nome dos colaboradores

Aprovada com louvor.

Lançamento do Cemitério Santista, com jazigos para que os torcedores do Alvinegro descansem em boa companhia

Idéia a princípio aprovada, mas só poderia ser feito em São Paulo, pois em Santos não há mais espaço para cemitérios.

Jogo das estrelas

Com a participação de jogadores de várias gerações. Mulheres, inclusive. Sem limite de substituições. Aprovado.

Bem, após a reunião de 15 de setembro as sugestões aprovadas foram levadas a uma reunião da diretoria com a presença do presidente Marcelo Teixeira. Nela foram definidas prioridades e se iniciou o processo que levaria aos primeiros eventos do Centenário. Estes eventos, que já foram iniciados, você vai conhecer no artigo de amanhã, o terceiro desta série que inaugura o meu blog e fala do Centenário do Santos. Até amanhã.

Você concorda com as decisões da primeira reunião sobre o Centenário do Santos? A escolha da camisa do Centenário deve ser feita por enquete popular? Pelé deve bater um pênalti oficial aos 72 anos?