O Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Futebol se reuniu ontem para mais uma sessão de julgamentos. Como as semifinais do Campeonato Paulista começam no próximo fim de semana, esperava-se, obviamente, que fossem resolvidas todas as pendengas dos clubes que podem se classificar para esta fase decisiva.

Surpreendentemente, porém, os casos do técnico Mano Menezes, que poderia pegar até seis jogos de suspensão, e os de Dentinho e Washington, cuja punição poderia chegar a três partidas, foram adiados para o dia 12, próxima segunda-feira, após a primeira partida das semifinais.

Ora, isso é no mínimo estranho. Quem assistiu ao julgamento disse que a atuação do advogado do Corinthians, o também jornalista João Zanforlim, foi muito boa, como sempre. Aliás, Zanforlim tem sido muito acionado e é um dos craques do Corinthians no momento. Agora, adiar os julgamentos e dar a estes réus a possibilidade de atuar não só na partida decisiva de hoje à noite, como no primeiro jogo da semifinal é, no mínimo, contrário aos propósitos de um tribunal que se preze.

Há coisas que nem o melhor advogado do mundo poderia poder reverter. O caso de Dentinho, então, é o mais grave. O rapaz é reincidente no uso do cotovelo com a intenção de atingir o adversário. Washington foi sua terceira vítima, sem que até agora o jogador do Corinthians tenha sofrido qualquer punição mais séria. Será que estão esperando que cegue alguém para receber o devido castigo da lei?

Quem tiver curiosidade de ler a ata da sessão de julgamentos do dia 5, o link é esse:  http://www.futebolpaulista.com.br/tjd.php?sec=15&sub=&cod=36487 Veja que, coincidentemente, claro, em um dia em que Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Portuguesa foram julgados, o único clube grande condenado foi o Santos (multa de R$ 1.500,00). Claro que também é apenas uma coincidência que o Santos tenha no mínimo um gol anulado, erradamente, por partida.

Será que sou eu quem está vendo coisas? Ou os homens do tribunal e os árbitros estão armando uma retranca contra os Meninos da Vila? Qual a sua opinião sobre o caso?