Relembre o duelo entre ambos pela semifinal da Libertadores de 2007

Santos e Grêmio farão o primeiro jogo da semifinal da Copa do Brasil no Estádio Olímpico, na próxima quarta-feira, e na semana seguinte voltarão a se enfrentar em São Paulo (Pacaembu ou Vila Belmiro). É difícil dizer se o sorteio de hoje à tarde foi melhor para um dos times, pois tudo dependerá do primeiro jogo.

Esta mesma ordem aconteceu na semifinal da Libertadores de 2007 e naquela ocasião a disputa foi decidida pelo “gol fora” que Diego Souza marcou no jogo de volta, na Vila Belmiro. O Santos vinha de uma campanha magnífica, Zé Roberto brilhava, mas foi dominado pelo Grêmio em Porto Alegre, na primeira partida, que perdeu por 2 a 0. Depois, na Vila, impôs um domínio ainda mais avassalador ao adversário, mas “só” ganhou por 3 a 1 – eliminado no fim das contas justamente por ter sofrido um gol em casa.

Em 2007 o Santos tinha um time tecnicamente melhor do que o Grêmio, mas a derrota inapelável em Porto Alegre acabou sendo decisiva. Desta vez, as equipes se equivalem. Com vários “ex-paulistas”, como Hugo e Borges, que vieram do São Paulo, e Jonas, ex-Santos, o técnico Silas montou uma equipe forte e competitiva, de muito poder ofensivo.

O Grêmio é daqueles times que jogam duro sem serem violentos e consegue aliar a garra gaúcha a uma boa técnica. Tem jogadores mais experientes do que o Santos e pode muito bem conseguir uma boa vitória em Porto Alegre. Mesmo que vença em casa, porém, a questão será o resultado.

Se jogar como tem feito mesmo nas derrotas, fazendo sempre um ou dois gols, o Santos terá total possibilidade de obter a classificação na Vila. Porém, se for derrotado no Olímpico sem marcar, a situação para a segunda partida será crítica.

Assim, por mais paradoxal que seja, espero um Santos com uma mentalidade ofensiva em Porto Alegre. Cada gol no campo do adversário valerá muito para empurrar os Meninos da Vila para a sua primeira final de Copa do Brasil.

À parte, haverá outro duelo muito interessante de se ver: Dorival Junior versus Silas, dois dos melhores treinadores da nova geração, ambos adeptos de times técnicos, de futebol fluente e objetivo, que não instruem seus jogadores a apelar para a violência ou intimidação.

Enfim, será bonito e emocionante de se ver. Que vença o futebol!