Um presente: o jogo histórico pela semifinal da Copa Libertadores de 1963, no Maracanã. Relembre o clássico mais importante do futebol brasileiro nos anos 60.

Mesmo sem os titulares Edu Dracena, Léo, Arouca, Paulo Henrique Ganso e Robinho, o técnico Dorival Junior poderá escalar um time forte amanhã, no Rio, na estréia do Santos no Campeonato Brasileiro. Pelos jogadores relacionados para a viagem, acredito que a equipe entrará em campo com Felipe, Pará, Bruno Aguiar, Durval e Alex Sandro; Rodrigo Mancha, Arouca, Wesley e Marquinhos; Neymar e André.

O time ainda terá algumas boas opções ofensivas, como Madson. Zé Eduardo e Maikon Leite. O garoto Breitner também viaja e poderá ter sua chance no meio (será que Dorival terá coragem de tirar volantões como Rodrigo Mancha e Roberto Brum e colocar Breitner? Acho improvável, mas torço que sim).

Estranhei o fato de Germano não estar na lista. Seria uma opção melhor, ou menos pior, para o meio do que Roberto Brum, que viajará. O certo é que tanto Germano como Brum não combinam com o time criativo no qual o Santos se transformou e o início do Brasileiro é uma boa oportunidade de mexer no elenco.

As ausências dos titulares santistas dão ao Botafogo de Joel Santana, o campeão carioca, um pequeno favoritismo, mas nada que perdure depois de cinco minutos de jogo. O Santos pode jogar bem e até voltar do Rio com três pontos. Afinal de contas,l Arouca, Wesley, Marquinhos, Neymar e André, com o apoio de Pará e Alex Sandro, formam um grupo que merece respeito.

E você, o que acha que acontecerá no Rio? Os desfalques impedirão a vitória dos Meninos da Vila, ou ainda sobrou time para vencer o Botafogo?