Confira os melhores momentos do jogo de ontem no Engenhão

Para um time que jogou sem seis titulares e no campo do adversário, o empate de 3 a 3, ontem, contra o Botafogo, pode ser considerado um bom resultado para a o Santos. Mas, pelas circunstâncias da partida, não foi, pois caso não tomasse três gols em jogadas de bola parada e em momentos “mortos” do jogo, o Santos voltaria do Rio com preciosos três pontos.

O Botafogo não foi campeão carioca à toa. É um time matreiro como seu técnico Joel Santana. Defende-se como pode, e não muito bem, tem um meio-campo brigador, mas é especialista em bolas paradas. Joel deve usar boa parte do tempo dos treinamentos para ensaiar este tipo de jogada. Ontem, elas salvaram o seu time.

Logo aos seis minutos do primeiro tempo, após cobrança de escanteio, o zagueiro Antônio Carlos, de cabeça, marcou o primeiro gol do jogo e do Brasileiro, numa desatenção total da defesa santista.

O Santos se recuperou, passou a tocar a bola e dominar a partida. Virou o jogo em apenas três minutos: aos 29, com Neymar, depois de boa jogada que começou com Alex Sandro, pela direita, e prosseguiu com o belo passe de Marquinhos que encontrou Neymar na risca da pequena área, de cara para o gol. E aos 32, quando André se aproveitou de uma bola mal cortada pela defesa do Botafogo e, com calma, bateu rasteiro no canto esquerdo de Jefferson.

Mesmo com a vantagem o Santos tocava melhor e até poderia ter ampliado a vantagem. Mas não o fez e o castigo veio no final do primeiro tempo. Aos 45 minutos, após cobrança de falta, novamente o zagueiro Antônio Carlos apareceu livre e chutou forte do canto esquerdo de Felipe.

No segundo tempo, o Santos voltou a controlar o meio-campo e desempatou aos 35 minutos, com uma cabeçada de Zé Eduardo, em passe de Wesley. O time continuou melhor após o gol, mas ao proporcionar uma cobrança de falta ao adversário, aos 43 minutos e meio, próximo à lateral direita da área, sofreu o gol de cabeça de Herrera que definiu o placar.

As jogadas ensaiadas do professor Joel e a falta de entrosamento da defesa santista, que dos cinco titulares só teve em campo o goleiro Felipe e o zagueiro Durval, acabaram sendo fatores decisivos para este empate com gostinho de derrota.

Porém, deu para perceber que com todos os titulares o Santos terá plenas condições de brigar pelo título brasileiro. Se com um time misto dominou o campeão carioca, com Paulo Henrique Ganso, Robinho, Arouca, Léo, Pará e Edu Dracena formará, ao menos no papel, o melhor time da competição.

E você, o que achou da estreia do Santos no Brasileiro? Diga-nos. Sua opinião neste blog é realmente importante…