Amigos, este e o primeiro post (e talvez o ultimo, ja que estou de ferias…) que envio de Paris. E nao poderia estar carregado de mais alegria, pois acabo de ver o brasileiro Thiago Alves vencer o argentino Gaston Gaudio, campeao de Roland Garros em 2004, por 6/2 e 6/3, numa verdadeira aula de tenis. Sem ter o seu servico quebrado uma unica vez, Thiago jogou com inteligencia a anulou o forte jogo de fundo de quadra de Gaudio.

“Eu sabia que teria de atacar o saque dele, que nao e muito potente, e depois, nas trocas de bola, forcar a sua direita, porque ele faz o que quer com a esquerda”, disse-me Thiago ao sair do vestiario apenas para atender a este blog.

Nas trocas de bolas, que Thiago define como “ralis” o brasileiro as vezes era balancado de um lado a outro, mas conseguia chegar em todas, ate, na maioria das vezes, ganhar o ponto. Mas isso tinha sido planejado pelo brasileiro: “Nos ralis eu busquei a profundidade e confiei na minha parte fsisica”, explicou.

Mas Thiago Alves nao foi so perna e folego. Usou e abusou das bolas curtas (deixadinhas), que quase sempre definiram o ponto. Tambem sacou muito bem em horas delicadas da partida, como no math point, quando conseguiu um ace.

O jogo atraiu um grande publico na quadra 16 de Roland Garros, que ficou lotada. Como instalei-me no meio dos torcedores, aproveitei para extravasar minha torcida e dar uns gritos de “Vamos Thiago!” sempre que o brasileiro fazia um belo ponto.

Ao meu lado estavam torcedores, tenistas, tecnicos e jornalistas argentinos, que tambem aproveitavam os pontos de seu tenista para gritar “Gaston!”. Assim, em alguns momentos parecia que estavamos em uma (micro) previa do que se vera se as selecoes de Brasil e Argentina se encontrarem na Copa do Mundo.

Teoricamente as chances do brasileiro eram remotas, pois Gaudio e um mestre no piso de saibro (terra batida), Mas a regularidade e a coragem de Thiago Alves comnpensaram o melhor curriculo do adversario.

Desde o primeiro game Alves mostrou que estava disposto a brigar por todos os pontos. Assim como o espanhol Rafael Nadal, buscou bolas que pareciam perdidas e obrigou Gaudio a se desgastar um pouco mais do que pretendia,

O brasileiro aproveitou o inicio frio do argentino para quebrar-lhe seu saque no segundo game e seguir firme com esta vantagem ate marcar 5/2, quando quebrou novamente para fechar o primeiro set em 6/2. Na segunda serie, mais equilibrada, o brasileiro conseguiu o break quando o jogo estava empatado em 2/2 e a partir dai manteve o servicos para fechar em 6/3.

Apesar da importancia de vencer um ex-campeao de Roland Garros, Thiago acha que este nao foi o melhor jogo de sua carreira. A primazia, segundo ele, e da ultima partida do qualifying de Roland Garros do ano passado, quando chegou a ter match point, mas perdeu para Lukasz Kubot por 10/8 no terceiro set.

Apesar de ser derrotado por Kubot, Thiago Alves entrou na chave principal de Roland Garros do ano passado como lucky looser (“perdedor de sorte”, que entra na chave por desistencia de um jogador previamente inscrito). Este ano ele ainda depende de nova vitoria para garantir seu lugar na chave raprincipal.

Na terceira e ultima rodada do quali ele enfrentara o vencedor de Antonio Veic (Croacia) e Mikhail Kukushkim (Casaquistao). Thiago, paulista de Sao Jose dos Campos que sabado completa 28 anos, ainda nao jogou com nenhum dos dois. Ate hoje as 18 horas ainda nao tinha um plano tatico para o jogo, mas certamente o tera e dara muito trabalho ao avdersario, pois Thiago e um brasileiro que realmente nao desiste nunca.

(Desculpem a falta de acentos. Escrevi em um teclado da IBM programado para o frances. Deve ter um jeito de acentuar em portugues, claro, mas ate eu aprender a notica ficaria velha. Abracos. Agora, tentarei descobrir como assistir ao jogo Santos e Gremio. Torcam por mim…).