Dorival, senta aqui que o assunto é sério...

Dorival, gosto de você, sempre defendi seu nome como técnico do Santos. Você é um sujeito aglutinador, importante para motivar e dar liberdade a esses meninos. Se o time foi tão alegre e solto no primeiro semestre, é porque você deixou. Se o técnico fosse o Felipão ou o Luxemburgo, os Meninos teriam mais medo do que alegria. Então, como amigo é que tomo a liberdade de lhe dar alguns conselhos – para que você continue no Santos por muito tempo, ganhe muitos títulos e se consolide como um dos melhores técnicos do Brasil.

Quem eu sou para lhe dar conselhos? Bem, sou um cara que acompanha futebol há mais de 40 anos, jornalista há 33 e meio, conhecedor da história dos clubes, da Seleção, do futebol brasileiro, entrevistei centenas de técnicos e jogadores, assisti a milhares de jogos, fiz dois cursos de técnico de futebol e, mais do que tudo, tenho feeling. Não direi que entendo mais de futebol do que você, mas, se fosse técnico, substituiria melhor do que você. Bem melhor, aliás…

Percebo que você não incluiu o Alan Patrick na lista dos 20 relacionados para a partida. Ora, no meio da semana você tirou o Neymar do jogo e deixou o Alan na partida. Hoje Patrick não está nem relacionado. Vejo também que Danilo é outro que não foi incluído no grupo. Pergunto: você está plenamente satisfeito com o Pará, ou acha que a lateral-direita já está bem servida? Não é isso que o torcedor acha…

Bem, quanto a isto, lhe direi que, em dúvida, ouça o povo. A voz do torcedor é sábia. Perceba que o grande mal de Dunga foi tão ter ouvido a torcida brasileira. Ele se iludiu, achando que por ser o técnico da Seleção Brasileira, tinha sido ungido pela sabedoria dos deuses. Ingenuidade que lhe custou caro. Teimou em não levar alguns jogadores que todos pediam e deu no que deu. Ficou sem opções na hora agá. Errou e levou todo mundo pro buraco junto com ele. Quis ser bonzinho e ferrou um país.

Então, aqui entre nós – e sem que ninguém nos ouça (não se preocupe pois este blog não é dos mais visitados e alguns que o visitam não dão o braço a torcer) – leia e anote estes conselhos:

1 – Use ao máximo o Robinho. Ele está sendo pago regiamente para jogar pelo Santos. A Seleção já era. Ele tem de se dedicar ao único time onde ele praticou um futebol de craque. Chega de descanso. Ele nunca será o melhor do mundo. Mas pode ser o melhor no coração dos santistas, o que não tem preço.

2 – O Neymar tem de jogar até o fim. Mesmo quando não estiver muito bem, não tire ele. O garoto tem de pegar ritmo de novo. É melhor tê-lo em campo do que o Alan Patrick e o Marcel.

3 – Marcel fez um belo go contra o Palmeiras, mas o melhor para a posição de centroavante, enquanto o Keirrison não vem, é o Zé Eduardo. Isso mesmo, o Zé Love. Ele é meio brincalhão e talvez não seja muito respeitado por aisso, mas quando em campo dedica-se integralmente, corre, desmarcar-se, dá outra mobilidade ao ataque. É mais importante para o santos do que o Marcel, que é mais paradão.

4 – E o André? O André está com o crânio na Ucrânia. Não adianta colocá-lo em campo. Vai tirar o pé das divididas, como fez contra o XV de Piracicaba e o Palmeiras. Mostre personalidade e deixe o rapaz fora do time. Só o coloque se ele pedir pra jogar e prometer que vai se dedicar ao time.

5 – O Alan Patrick e o Breitner ainda não têm bola para jogar no Santos. O Breitner só bate bem na bola. No mais, ainda lhe falta tudo. Coloque esses garotos de vez em quando, no final de alguns jogos já decididos, e vá percebendo como evoluem. Mas, por enquanto, não podem ser titulares em nenhuma partida, muito menos em um clássico. Prefira jogadores mais experientes. Diga isso a eles para não deixar dúvidas sobre os critérios de escalação. Neymar e Ganso são uma realidade, mas Breitner e Alan Patrick ainda não provaram absolutamente nada.

6 – Valorize mais o Madson. Ele tem jeito de garoto e muitos dizem que só corre. Mas sua correria abre e perturba a defesa adversária. O baixinho é valente e nunca desanima. Pode lhe faltar mais habilidade e precisão no último passe, mas já foi muito importante em vários jogos do Santos. O madson precisa de paciência e carinho, não de bronca.

7 – Enfim, ouça mais a torcida. Quando todo o estádio pede um cara, coloque-o em campo. Isso, além de tudo, é mais inteligente, pois se não der certo, ninguém vai pegar no seu pé.

8 – Não se ache o dono da cocada preta. Nós do futebol sabemos que ninguém sabe tudo desse esporte, que um porteiro de prédio pode muito bem entender mais do riscado do que você e eu juntos. Esta é a verdade. Qualquer dúvida, mande um e-mail pra mim, que eu te oriento, pois, como disse, quero vê-lo muito tempo no Santos.

Uma grande vitória hoje e os Meninos voltarão

Anote aí o time que você deverá colocar em campo hoje: Rafael, Pará, Durval, Edu Dracena e Alex Sandro; Arouca, Rodriguinho, Wesley e PH Ganso; Robinho e Neymar. Se quiser ser mais ofensivo, ponha o Zé Eduardo no ataque e tire o Rodriguinho. Pronto, é isso aí. Não intente mais nada.

O mais importante, hoje, é atitude. Vai pra cima do Fluminense do Muricy e faça o time conseguir uma vitória digna do primeiro semestre. Se isso acontecer, amanhã todo mundo estará falando da volta dos Meninos da Vila no segundo semestre.

Por outro lado, se fizer um jogo amarrado e empatar em 0 a 0, 1 a 1, ou perder, dirão que acabou a magia, que os Meninos já estão com a cabeça no exterior e blá blá blá…

Bem, por enquanto é só. Siga estas recomendações e daqui a pouco vão dizer que você merece uma chance na Seleção Brasileira. Pode deixar, não quero um cargo de auxiliar técnico, nem nenhuma porcentagem nos eu salário. Contento-me em ser um jornalista e escritor quase anônimo. Sucesso e abração!