Os tentáculos do polvo são os tentáculos de Deus?

Os dois times tocam bem a bola, mas a Espanha ficará mais tempo com ela. E com a bola nos pés os espanhóis criam boas chances, cuja maioria é desperdiçada.

A Holanda, por sua vez, é um pouco mais objetiva, ou seja, tem um índice de aproveitamento maior. Em outras palavras, pode ter menos chances, mas marcar mais gols.

A maioria vai dizer que a Espanha é favorita, pois bateu a Alemanha, enquanto a Holanda ganhou a duras penas do Uruguai. Mas a Espanha já perdeu nesta Copa (0 a 1 para a Suíça), enquanto a Holanda venceu todos os seus jogos.

Os dois times merecem – pelo histórico nas Copas e no futebol – chegar ao seu primeiro título, mas a Holanda merece um pouco mais. Já disputou duas decisões, enquanto a Espanha disputa uma final pela primeira vez.

Ambos seguem a escola do “futebol total” nascida em 1974 com a Laranja Mecânica, que privilegia a posse e a manutenção da bola, a participação de todos os jogadores e atuações em bloco tanto na defensiva, como na ofensiva.

Perceba que usam pouco a “ligação direta” entre defesa e ataque. A bola sempre passa pelo meio-campo. Todo jogador tem de saber tocá-la, pois a prioridade é mantê-la sob controle. Isso melhora o nível técnico da partida.

Talvez façam um jogo aparentemente monótono, mas é como nos grandes clássicos do xadrez: o grande poderio dos contendores equilibra tanto a partida, que ela fica amarrada. Mas isso não quer dizer jogo ruim. Na verdade, muitos dos jogos que julgamos espetaculares devem a sua beleza ao desnível entre as equipes.

Bem, como não gosto de ficar em cima do muro, direi que se a Espanha não tremer, não ficar muito nervosa pela possibilidade iminente de realizar o seu sonho, ganhará o jogo.

Porém, em se tratando de estabilidade emocional, creio que a Holanda levará vantagem, até pela característica de seu povo, em contraposição ao sangue quente espanhol.

Enfim, se eu fosse mais prudente, ficaria em cima do muro mesmo, pois é o típico jogo que tem tudo para ser equilibradíssimo.

Entretanto, vejo um domínio maior da Espanha e desse domínio vislumbro mais chances de gol e, consequentemente, ao menos um a mais.

Então, não sou nenhum polvo, mas iria atrás do meu pedaço de molusco na caixinha da…

ESPANHA!!!

E você, se fosse o polvo, comeria o seu almoço em qual caixinha?