Apesar do técnico Dorival Junior, que tirou os poucos jogadores mais experientes e encheu a equipe de garotos no final da partida, os reservas do Santos conseguiram uma vitória heróica sobre o Grêmio Prudente, em Presidente Prudente, por 2 a 1, e devolveram ao time a possibilidade de sonhar com a luta pelo título brasileiro.

O Santos, que só tinha três titulares em campo – o goleiro Rafael, o lateral-esquerdo Léo e o meia Marquinhos – chegou a estar vencendo por 2 a 0 a 15 minutos para o final, e parecia ter o jogo sob controle quando o técnico Dorival Junior iniciou as lambanças.

Primeiro tirou Marquinhos, o único que conseguia segurar a bola no meio-campo, e colocou o garoto Alan Patrick, que não sabe marcar e ainda não tem jogado bem nas vezes em que é escalado. Não satisfeito, Dorival substituiu Madson, que preocupava a defesa do Grêmio Prudente, pelo estreante Dimba, cuja maior qualidade, por enquanto, é ser parente do veterano artilheiro.

Sem jogadores que conseguissem marcar bem o experiente meio-campo do Prudente ou ao menos segurar a bola, o Santos passou a ser bombardeado pelo adversário, que fez um gol e ainda teve dois pênaltis para empatar e até virar o jogo. Por obra divina o goleiro Rafael defendeu um e o outro se chocou contra a trave.

Pelo andamento do jogo, o Santos mereceu a vitória. Mas, pelo últimos 15 minutos, o Prudente poderia ter saído ao menos com o empate. A partida mostrou como um técnico que não sabe substituir pode estragar um time e colocar uma vitória em risco. É uma temeridade deixar Dorival Junior decidir as substituições no Santos. Deveria ser criada uma junta técnica para fazer isso no Santos.

Destaques: Rafael e o 500º gol

O time todo do Santos tinha méritos antes do final desastroso. Até o novato Zezinho desta vez jogava bem. O limitado Rodriguinho havia marcado um gol belíssimo em um sem-pulo de forsa da área, o 500º do Santos na fase de pontos corridos do Campeonato Brasileiro, igualando-se ao Cruzeiro, que hoje atingiu também a marca.

No final, quem salvou o time foi o jovem goleiro Rafael. Pegou um pênalti e no outro, em cima da hora, pressionou tanto o atacante Róbson que este chutou na trave. Depois desta atuação, não ficou nenhuma dúvida de que o Santos não precisa mais procurar goleiro. Rafael é o cara!

Outros que se destacaram foram os zagueiros Bruno Aguiar e Vinícius; Luciano – autor de outro belo gol, o primeiro do jogo –, além dos experientes Zé Eduardo e Madson, que atormentaram a defesa do Prudente com velocidade e muitas deslocações.

Com a vitória, que representou também a primeira derrota do Grêmio Prudente em seu estádio, o Santos termina a rodada na sétima posição, com 18 pontos ganhos, apenas dois abaixo do terceiro lugar (Internacional) e oito atrás do líder Fluminense.

Como não precisará mais poupar jogadores no Brasileiro, pois joga a final da Copa do Brasil no meio da semana, o time – se Dorival Junior não inventar – terá boas possibilidades de ainda lutar pelo título.

O que você achou da partida e das mexidas do professor Dorival Junior? E de Rafael, o que podemos dizer? Está surgindo mais um grande goleiro santista?