Falar o quê da conquista do Santos, ontem?

Que ela representa o nono título nacional do Santos, que já tinha oito de primeira grandeza.

Com isso, pelo ranking mais respeitável já elaborado no país, o da revista FourFourTwo, o Santos aumenta em mais um ponto a sua liderança para o Palmeiras, o segundo colocado.

Agora o Santos tem 25, contra 23 de Palmeiras, 18 de São Paulo, 17 de Flamengo e 14 de Corinthians.

No ranking da FourFourTwo Campeonato Brasileiro vale três pontos e Copa do Brasil, um.

O que mais pode ser dito?

Que ela foi a vitória do futebol ofensivo, bonito, alegre. Foi a vitória do bom humor sobre a amargura, da juventude – de idade e de espírito – sobre a ranhetice.

“Esses Meninos ainda não ganharam nada”

No Campeonato Paulista, mesmo após exibições primorosas, que lembraram o Santos de Pelé, os santistas se cansaram de ouvir a frase, carregada de desdém: “Esses Meninos ainda não ganharam nada!”

Logo após perderem para o Santos na Vila Belmiro, ao sair de campo, os corintianos Ronaldo e Roberto Carlos ameaçaram, dizendo que o alvinegro da capital ainda daria o troco nas semifinais.

Depois, antes de enfrentar o São Paulo nas semifinais – já que o Corinthians não se classificou –, os Meninos ainda eram olhados com desconfiança. Muitos jornalistas afirmavam que a maior experiência do Tricolor faria a diferença.

Bem, o título paulista veio – depois de três vitórias sobre o São Paulo e uma final contra o valente Santo André – e o Santos se aproximou também das finais da Copa do Brasil.

Ao terminar o jogo no Mineirão, quando o Atlético venceu o Santos por 3 a 2, Diego Tardelli disse para os repórteres que a mídia estava endeusando o Santos, mas naquela noite o Brasil tinha visto que o Atlético era um grande time.

No jogo de volta, na Vila Belmiro, o Santos venceu por 3 a 1, fora o baile, e despachou o Atlético da Copa do Brasil.

Em seguida, na derrota para o Grêmio, em Porto Alegre, por 4 a 3, um narrador de rádio alardeou que o futebol de verdade era o do time do Sul e não o “futebol bailarino” do Santos. O técnico Silas disse que seu time era melhor do que o dos Meninos.

No jogo de volta, na Vila Belmiro, o Santos venceu por 3 a 1, fora o baile, e despachou o Grêmio da Copa do Brasil.

No primeiro jogo da final, quando Neymar perdeu o pênalti com cavadinha e o Santos desperdiçou outras inúmeras chances para golear o Vitória, muitos formadores de opinião disseram que o time não suportaria a pressão de jogar em Salvador e sucumbiria diante do Vitória, que na Copa do Brasil não tinha sofrido nenhum gol no Barradão e goleado todos os seus adversários, menos o Vasco, que perdeu “só” por 2 a 0.

Ontem o Santos perdeu por 2 a 1, mas em nenhum momento correu um risco iminente de deixar escapar o título de sua primeira Copa do Brasil.

Agora, quando o time volta a se concentrar exclusivamente em uma competição, no caso o importante Campeonato Brasileiro, o receio do torcedor santista é de que a equipe se contente com o que já conquistou este ano e não se empenhe o suficiente para lutar por um título que é plenamente possível.

Nesta hora, o que de melhor poderia acontecer com o Santos é que muitos jornalistas, todos se possível, duvidassem de novo que esse time pode ser campeão.

Ah, como seria bom se todos dissessem que esses garotos só fazem firulas, que não jogam nada e não têm a mínima chance de serem campeões brasileiros, muito menos do Brasileiro e da Sul-americana ao mesmo tempo.

Por isso, apelo a todos que andaram duvidando dos Meninos: Duvidem! Duvidem de novo! Duvidem mais um pouquinho! Nunca parem de duvidar!