Guardem bem esta data: 10 de agosto de 2010, dia que pode entrar para a história do futebol, pois hoje os Meninos da Vila Neymar e Paulo Henrique Ganso estreiam na Seleção Brasileira. Como tudo que acontece no Santos, o fato de dois garotos começarem juntos sua carreira na Seleção não é novidade. A história começou logo no primeiro jogo oficial do Escrete, no longínquo 27 de setembro de 1914, em Buenos Aires.

No campo do Club Gimnasia Y Esgrima e diante de um público de 17.200 pessoas – excelente para a época – a Seleção Brasileira jogou a primeira partida oficial de sua história contra a Argentina, em disputa da Copa Roca. Entre os titulares do Brasil lá estavam dois jovens, de 20 e 22 anos, que dois anos antes tinham participado da fundação do Santos: o ponta-direita Adolfo Millon Junior e o ponta-esquerda Arnaldo Silveira.

O Brasil venceu por 1 a 0, gol de Rubens Salles, do Paulistano, aos 13 minutos do primeiro tempo, mas lembro esta partida apenas para perguntar: Não é assombroso que a primeira geração dos Menino das Vila já tenha sido representada logo no primeiro jogo oficial da Seleção Brasileira?

Pelé, bem acompanhado

No dia 7 de julho de 1957, ao estrear na Seleção Brasileira, com apenas 16 anos, Pelé olhou para o lado e lá estava o santista Del Vecchio, outro Menino da Vila, 22 anos. Mais à esquerda, mais um santista, Tite. Atrás, Zito, que depois foi substituído por Urubatão, também do Santos. Era o Maracanã, mas parecia um jogo na Vila Belmiro. À vontade, o estreante marcou o gol de empate, aproveitando um rebote do goleiro.

Daquele período até 1970 o Santos e a Seleção Brasileira se confundiram e muitos Meninos da Vila honraram também a amarelinha, como Pepe, Coutinho, Pagão, Joel Camargo, Clodoaldo, Edu…

Em 1978/79, quando surgiu a geração que consagrou a denominação “Meninos da Vila”, todos eles também chegaram à Seleção Brasileira na mesma época: no segundo semestre de 1979 o técnico Cláudio Coutinho chamou os meninos Juary, João Paulo, Nilton Batata e Pita.

O mesmo aconteceu com Robinho e Diego, estrelas do time campeão brasileiro de 2002, que embora tivessem apenas 21 e 20 anos, respectivamente, passaram a ser convocados regularmente para a Seleção a partir de 2004.

Agora é a vez de Neymar e Paulo Henrique Ganso, que representam não só o orgulho dos santistas, mas a esperança do futebol brasileiro de reencontrar suas origens de futebol bonito e ofensivo. Que os deuses do futebol os protejam hoje à noite e que possam jogar tão alegres e irreverentes como se estivessem na Vila mais famoso do mundo.

O que você espera da atuação de Neymar e Ganso no jogo de hoje? Acha que sentirão o peso da camisa da Seleção, ou jogarão tranqüilos e darão show?