Quando eu tinha 14 anos, queria ser jogador de futebol. Era artilheiro do time do ginásio e tinha motivos para acreditar que poderia jogar bem. Em uma quadra de futebol de salão molhada escorreguei e quebrei a perna. Fraturei feio perto do joelho. Fiquei dois meses e meio de cama, sem poder pisar no chão. Mal tirei o gesso e fui jogar de novo. A fratura não estava consolidada e quebrei de novo, no mesmo lugar. Aí o médico me recomendou escolher um esporte menos violento. Anos depois comecei no tênis.

A frustração de não poder nem ao menos tentar ser jogador de futebol me incomodou por anos. Era uma época – final dos anos 60 – em que e medicina esportiva engatinhava. Algumas contusões mais graves eram sinônimo de aposentadoria até para profissionais.

Lembrei disso só para reforçar minhas palavras quando digo que sei o que o Ganso está passando. Ainda bem que no seu caso esta contusão não signifique esquecer o sonho de jogar futebol. Nosso querido paraense de Ananindeua só fará 21 anos em 12 de outubro e voltará aos campos, com mais amor do que nunca, a tempo de ajudar o Santos na Libertadores do ano que vem.

Nem é preciso dizer que os votos desse blog são para que a cirurgia a ser realizada no sábado pelo médico-ortopedista, José Ricardo Pécora – com acompanhamento dos médicos do Santos, Rodrigo Zogaib e Maurício Zenaide – seja tão precisa e com resultado tão feliz como os passes que Paulo Henrique proporciona aos companheiros.

Como o Santos deve jogar sem ele?

A vitória sobre o Grêmio colocou o time na luta pelo título brasileiro, mas será que sem o Ganso essa ambiciosa meta será possível, ou a diretoria terá de fazer um esforço e trazer mais um jogador pra a posição?

Como ficaria o meio-campo do Santos sem ele? Com apenas três – Arouca, Rodriguinho e Marquinhos – e Neymar, Zé Eduardo e Keirrison mais à frente; ou com quatro, recuando Zé Eduardo?

Ou com a entrada de Danilo no lugar do Ganso? Ou Zezinho? Ou Alan Patrick? Ou Rodrigo Possebon, se bem que a gente nem sabe como esse rapaz joga…

Enfim, titio Dorival deve estar perdido e desamparado hoje, e ficaria feliz de ler algumas sugestões.

Como você acha que o Santos deve jogar sem o Ganso para ainda tentar o título do Brasileiro? Ou sem ele o sonho se tornou impossível?