Nós, santistas, temos a mania de dizer que a imprensa persegue o nosso time, pois, entre outras coisas, não reconhece as grandes conquistas do Santos. Bem, não é bem assim. Há jornalistas muito bem informados e extremamente profissionais, que sabem, por exemplo, que a Taça Brasil dava ao seu vencedor o título de campeão brasileiro, e por isso o Santos é o maior campeão nacional do país, com oito títulos nacionais de primeira grandeza, além desta recém-conquistada Copa do Brasil.

Um destes jornalistas esclarecidos se chama Sérgio Quintanilha e era o proprietário da revista FourFourTwo, edição em português, da qual eu era o editor-chefe. Há cerca de um mês a FourFourTwo deixou de ser publicada no Brasil e agora o Quintanilha está lançando a revista FUT, já que esta marca lhe pertence há muitos anos.

Na primeira edição, especial, de 16 páginas, Quintanilha resolveu retratar o título da Copa do Brasil conquistado pelos Meninos da Vila e me deu a honra de escrever as matérias. A publicação traz as súmulas completas dos jogos do Santos na Copa, a ficha dos jogadores, perfis do Quarteto Santástico e o ranking atualizado de 51 anos de campeonatos nacionais no país – com a liderança do Santos, seguido por Palmeiras e Flamengo.

Outra informação importante trazida pela revista – e que ainda não vi em nenhum lugar – é que assim como o Santos bateu o recorde de gols em uma edição da Copa do Brasil (39 gols), ele já tinha batido o recorde do Campeonato Brasileiro (103 gols em 2004), do Torneio Roberto Gomes Pedrosa (44 gols em 1968) e teve as três melhores médias de gols na Taça Brasil (3,75 em 1963, 3,60 em 1961 e 3,33 em 1964). Ou seja, o Santos é recordista de gols em todas as competições nacionais já disputadas no país.

Estas informações são relevantes e ao menos o santista tem a obrigação de sabe-las e guardá-las com carinho. Por isso, sem nenhum interesse, a não ser o de difundir e preservar a rica história do Santos, faço um apelo para que você, amigo santista e leitor deste blog, adquira esta revista e a guarde.

O sucesso desta edição da FUT representa o início de uma publicação que tratará os times de maneira justa e de acordo com seus méritos esportivos, sem levar em conta fatores subjetivos, como o tamanho das torcidas. Não falo por mim, mas o Quintanilha merece essa força pela seriedade com que trata o jornalismo esportivo.

O jornalismo esportivo nacional precisa de uma revista realmente neutra, isenta, que não faça média com ninguém e que se baseie, repito, apenas no mérito esportivo. O Sérgio Quintanilha é o empresário certo para torcar uma revista assim. E, olhe, ele nem é santista. É corintiano, mas consegue ver o futebol como ele é, dando o devido valor a quem merece.

A seguir, a capa e duas matérias da edição número 1 da revista FUT, que pode ser encontrada já neste sábado em bancas de todo o Brasil. Agradeço desde já.