“Obrigado Neymar, sua atuação me garantiu no cargo. Não sei como agradecer”

Hoje Mano Menezes anunciou mais uma lista de convocados para alguns joguinhos da Seleção e deixou Neymar de fora. Pelo que se sabe, Menezes não conservou com Dorival Junior nem com ninguém sobre o episódio entre o jogador e o ex-técnico do Santos, mas apenas se baseou nas desinformações da imprensa para punir o craque santista.

É outro que quer educar Neymar à distância. Dorival convivia, mas não conversava com o jogador, como um mentor deve fazer; Menezes, pior ainda, pune por vídeoconferência, em uma atitude corporativista que não cabe ao técnico que deve estar acima dessas picuinhas internas dos clubes.

Menezes já teve a oportunidade de conviver com Neymar durante os preparativos e o amistoso contra os Estados Unidos – até aqui o único ponto concreto e positivo de seu trabalho. Graças a jogadores como Paulo Henrique Ganso e, principalmente Neymar, o técnico foi, em princípio, aprovado na Seleção. Agora, já se sentindo mais poderoso, começa a mostrar o seu lado “disciplinador” e apunhala pelas costas um dos responsáveis pelos elogios que recebeu até aqui.

Essa atitude só poder ser ruim para o técnico, pois é evidente que o Brasil dependerá muito mais de Neymar até a Copa de 2014 do que de um treinador que foi colocado no cargo mais pela influência política do que pelo seu currículo, que ainda não conta com nenhuma conquista de expressão.

O que você achou de Mano Menezes deixar Neymar fora da Seleção Brasileira? Foi positivo para a “educação” do craque, ou puro autoritarismo babaca?