Hoje o Pacaembu viverá uma de suas noites gloriosas. O belo estádio que é a casa do Santos em São Paulo receberá, a partir das 21 horas, o clássico alvinegro mais tradicional da fase de ouro do futebol brasileiro. Santos e Botafogo não só prometem um futebol vistoso e ofensivo, como disputarão diretamente a terceira posição no campeonato nacional.

Ambos são campeões de seus estados. O Botafogo, que empreendeu uma recuperação espetacular desde que passou a ser treinado por Joel Santana, tem a terceira melhor campanha como visitante neste Campeonato Brasileiro.

Hoje, porém, o tinhoso técnico não poderá contar os atacantes Jóbson e Somália, machucados, e deverá colocar em campo um time formado por Jefferson, Leandro Guerreiro, Antônio Carlos e Fábio Ferreira; Alessandro, Marcelo Mattos, Fahel, Maicosuel e Marcelo Cordeiro; Herrera e Loco Abreu.

Quanto ao Santos, contará com a volta do Príncipe Neymar, que cumpriu suspensão automática. Mas outro garoto de ouro, Alan Patrick, continuará à disposição da Seleção Brasileira que disputa a Copa Sendai, no Japão. Léo e Rodriguinho se recuperam de contusões.

Assim, Dorival Junior deverá escalar o time com Rafael, Pará, Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Arouca, Danilo e Marquinhos; Zé Eduardo, Neymar e Keirrison. Se seguir o script dos últimos jogos, o técnico santista deve colocar Madson no início do segundo tempo e Marcel faltando meia hora para acabar o jogo. A entrada de Zezinho também não está descartada.

Os dois técnicos prometem que vão empurrar seus times para o ataque, mas é mais provável que o Santos tome a iniciativa, por jogar diante de sua torcida e por estar mais motivado para lutar pelo título Brasileiro, o que lhe daria a tão sonhada tríplice coroa.

Os dois times não são parecidos só nas cores e nas campanhas: ambos começam por bons goleiros, têm defesas relativamente firmes, com rendimentos similares (o Santos sofreu dois gols a mais) e bons ataques, também equivalentes (o do Botafogo marcou um gol a mais). O detalhe é que o Santos tem um jogo a menos.

A arbitragem será do mineiro Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG), auxiliado por Roberto Braatz (Fifa-PR) e Helberth Costa Andrade (MG).

Para quem ainda não tem ingresso, dá para comprar pelo site www.ingressofacil.com.br
Atenção para os preços: Arquibancada (setores amarelo, verde e lilás): R$ 30,00. Cadeira especial (laranja): R$ 40,00. Cadeira descoberta (manga): R$ 60,00. Cadeira coberta (azul): R$ 80,00. Geral (Tobogã), exclusivo para os santistas: R$ 10,00.

Os sócios do Santos que possuem cadeiras cativas na Vila Belmiro terão acesso às cadeiras cobertas e os demais ficarão no setor de cadeiras descobertas. Com mensalidade em dia e carteira na mão, os sócios pagarão meia-entrada na fatura a ser enviada via boleto. Não será permitida a entrada de acompanhantes.

A tendência é o equilíbrio, mas…

Se o Santos valia 140 pontos no primeiro semestre, caiu para 110 com as saídas de Robinho, André e Wesley e desceu mais um pouco devido à ausência de Paulo Henrique Ganso. Como o time, quase improvisado, até que está se saindo bem, é justo imaginar que a equipe mereça 100 pontos.

O time do Botafogo, por tudo que já foi exposto, também faz jus aos mesmos 100 pontos. Portanto, o que pode desequilibrar é o fator campo. Quando joga em casa, o Santos sempre tem a iniciativa do jogo e hoje não deverá ser diferente. A questão é até que ponto esta iniciativa redundará em gols.

O Botafogo tem um técnico que já foi considerado um canastrão, mas hoje vive a melhor fase de sua carreira. O velho Joel Santana merece respeito, pois sabe tirar o máximo de seus jogadores, principalmente, repito, quando dirige times cariocas.

Algumas provocações de botafoguenses podem ter motivado mais o Santos, como a de Marcelo Mattos, que disse lembrar com saudade da goleada de 7 a 1 quando atuava pelo Corinthians, em 2005. É o tipo de coisa que não se deve falar antes de enfrentar um time que adora ter um motivo a mais para fazer gols.

Se o jogo for tenso, catimbado, será pior para o time que não contará com o apoio de sua torcida. Portanto, se a intenção de alguns jogadores do Botafogo é intimidar Neymar e outros meninos do Santos, o tiro pode sair pela culatra, pois apenas os motivará ainda mais, assim como à torcida do Santos.

Enfim, tudo jogado no computador, é de se prever uma partida equilibrada e movimentada, em que o Botafogo procurará se defender primeiro para depois contra-atacar. Tecnicamente os dois times se equivalem, estrategicamente é de se esperar uma pequena vantagem para Joel Santana sobre Dorival Junior, mas a diferença da torcida deve dar uma importante vantagem motivacional ao Santos.

Eu diria que, somando tudo, o Santos pode chegar a 115 pontos, contra, no máximo, os 100 do Botafogo, que não deve ter um rendimento bem inferior do que teria jogando no Rio. Isso faz o Método Científico OC decidir que:

O Santos poderá vencer por um gol de diferença, mas o empate não está descartado.

Você concorda com o Método Científico OC? Qual é sua previsão para o jogão de hoje?