Lindo filme mostrando torcedores do Corinthians torcendo na final do Brasileiro de 2002. Um filme que desnuda a alma corintiana. Imperdível!!!

A rivalidade no futebol é boa e não deve ser transformada em ódio. O poder de um time também faz a grandeza de seus adversários. O que seria do real Madrid se não existisse o Barcelona? É por isso que, para o Santos, a presença do Corinthians é indispensável.

Pegue a gloriosa história do Alvinegro Praiano e constate que em seus grandes momentos ela teve como principal coadjuvante o alvinegro da capital. Vejamos:

Primeira vitória do Santos em Campeonatos Paulistas: em 22 de junho de 1913. Uma goleada de 6 a 3. Em quem? Corinthians.

Maior goleada em um clássico obtida pelo ataque dos 100 gols de 1927: 8 a 3, em 4 de setembro de 1927. Adversário? Corinthians.

Primeiro título paulista do Santos: em 17 de novembro de 1935. Vitória de 2 a 0. Onde? Parque São Jorge. Em quem? Corinthians.

Maior tabu entre times grandes do futebol brasileiro: Santos ficou 11 anos sem perder para um time no Campeonato Paulista, a competição mais importante da época para os times do Estado. Vítima? Corinthians.

Time que sofreu mais gols de Pelé – 50 gols em 48 jogos. Adivinhe? Corinthians.

Time que o Santos venceu por 1 a 0 em 2 de dezembro de 1984, tornando-se campeão do Campeonato Paulista de 1984, antes de entrar em um longo período sem títulos? Corinthians.

Time que o Santos venceu por 3 a 2 em 15 de dezembro de 2002, saindo da fila com o título brasileiro? Corinthians.

Time que levou o drible mais famoso de Robinho, as lendárias oito pedaladas? Corinthians.

Time de quem Robinho nunca perdeu? Corinthians.

As alegrias vêm em dobro

Claro que os santistas também tiveram motivos para se entristecer neste duelo tão tradicional que serviu de gancho para que eu e o amigo Celso Unzelte fizéssemos o livro “O Grande Jogo”. Mas descobri que mesmo as tristezas mais profundas sentidas pelos santistas acabam compensadas por alegrias ainda maiores.

Não se pode negar que aquele gol sofrido por Ricardinho nos últimos segundos da semifinal do Campeonato Paulista de 2001 foram bem dolorosos. O empate colocaria o Santos na final contra o Botafogo de Ribeirão Preto, com a vantagem de dois resultados iguais e o direito de fazer o segundo jogo em casa. Era um título quase certo, que tiraria o Santos da fila.

Pois bem: um ano e meio depois era o Santos quem marcava o gol no último segundo, e ao invés de uma semifinal de um Paulista, era a grande final do Brasileiro. Uma vitória épica, de um bando de Meninos geniais e atrevidos contra um time que vinha sendo apontado como o melhor do país.

Outra tristeza inegável para os santistas foram os 7 a 1 sofridos em 6 de novembro de 2005, naquele Campeonato Brasileiro influenciado pela máfia russa. Porém, apesar da goleada constrangedora, foi apenas uma partida. A vingança veio nos quatro jogos seguintes, todos eles vendidos pelo Santos, por 1 a 0, 2 a 0, 3 a 0 e 2 a 1.

Foi como se um o deus do futebol perguntasse: vocês querem ganhar de 8 a 1, ou preferem que eu desmembre esse resultado em várias partidas? E o Santos optou por ganhar de 8 a 1, mas em quatro vezes.

Enfim, não dá para pensar no Santos sem o Corinthians. Este duelo entre os alvinegros, o clássico mais antigo de São Paulo, certamente ainda trará muitas emoções aos torcedores dos dois times. Assim, os santistas desejam, de coração, que os próximos 100 anos do Corinthians sejam exatamente como os 100 primeiros.

O que você tem a dizer sobre esse clássico? Ele lhe traz alguma lembrança importante?