A derrota para o Ceará por 2 a 1, em Fortaleza, tirou do Santos uma ótima oportunidade de encostar no topo da tabela. As derrotas de Fluminense e Corinthians e o empate do Internacional foram providenciais para o Alvinegro, mas este não fez a sua parte.

O jogo com o Ceará estava equilibrado até os 24 minutos do segundo tempo, quando o Ceará fez 2 a 1, com Geraldo. A partir daí o Santos não teve forças, tranqüilidade e nem técnica para buscar ao menos o empate.

Dorival Junior optou por armar o time no 4-4-2, com apenas Neymar e Keirrison mais à frente, apoiados pelo meia Marquinhos. No lugar de Danilo, suspenso, o técnico escalou Roberto Brum. Preferiu também manter Zezinho, ao invés de Madson.

O Santos conseguiu fazer um jogo equilibrado no primeiro tempo e chegou a dominar a partida a partir dos 31 minutos, quando conseguiu o gol de empate através de Keirrison, aproveitando ótimo passe de Neymar. Até o final do primeiro tempo e meados do segundo o time teve outros contra-ataques que poderiam ter resultado em gols, mas Keirrison e também Neymar falharam no momento decisivo.

Com o segundo gol do Ceará, a 21 minutos para o final da partida, o jogo passou a ser dominado pelo time da casa, que criou novas chances e pouco permitiu ao Santos. A entrada de Marcel no lugar de Zezinho não surtiu qualquer efeito.

A arbitragem de Heber Roberto Lopes foi confusa e prejudicial ao Santos. Ele entrou no rol dos árbitros que não marcam faltas em Neymar, a não ser quando são escandalosas ou o Santos está perdendo. Enquanto o Ceará não desempatou a partida, Neymar era o caso de pancadas da vez.

Mas a arbitragem não pode ser desculpa. No primeiro semestre o Santos também encontrava árbitros obtusos como esse Heber Roberto Lopes e mesmo assim vencia com facilidade. Hoje qualquer jogo para o Santos se torna equilibrado. O time que goleava todos os adversários agora luta para conseguir vitórias mínimas.

No final, as chamadas cenas lamentáveis. Irritado, Neymar quis tirar satisfações com um jogador do Ceará, mas foi contido. Na confusão, um policial militar acertou com o cassetete nas costas de Marquinhos, que expôs o vergão para as câmeras do Sportv. O incidente não é o primeiro com a truculenta polícia do Ceará.

Estou ansioso para saber o que pensam os freqüentadores deste blog, Aprendi que a voz do torcedor – quando consciente e não simplesmente rancoroso – é a voz dos deuses dos estádios. Portanto, a palavra é sua. Vá aos comentários e diga o que achou do comportamento do Santos na derrota diante do Ceará.