Colaboração de Ricardo Ferrari

Sobre o Alan Patrick: Tenho 33 anos. Acompanho futebol de perto desde 1986. Me lembro que fugi da catequese para assistir Itália 1 x 1 Bulgária na abertura da Copa. Leio muito sobre futebol. Na verdade me considero além de um apaixonado pelo futebol e, principalmente, pelo Santos, um estudioso desse esporte. Livros como “Time dos Sonhos” são de cabeceira.

Bem. Se tiver um crítico do Alan Patrick que pense que ele deve sair do time, para mim DEU, ‘NAO BRINCO MAIS’. Ou eu não entendo nada, absolutamente nada de futebol, ou estou louco. Para mim, a única chance do Santos levar o título passa pelos pés do Alan. Não que ele esteja jogando como o Ganso ou Diego, ou outros de altíssima qualidade, mas ele é o fio de esperança de qualidade no meio campo.

Não existe no SANTOS, fora o Ganso, outro jogador que seja capaz de dar um passe como aquele do primeiro gol contra o Fluminense. É verdade, que o Ganso dá pelo menos cinco, seis passes daquele por jogo e o Alan, um ou dois. Mas só ele tem capacidade para isso.

É óbvio que ele pode render mais, mas já mostrou qualidade para ser titular absoluto do Santos nesse momento. Pelos pés dele passa nosso sonho pelo título.

Além de tudo, mantendo ele, deixando-o ganhar quilometragem, temos chance de ter uma dupla genial para 2011, Ganso e Alan. É só analisar quem era o Ganso em 2009 e quem é hoje.

Sinceramente, o Alan em 5 minutos de lucidez é mais eficiente do o Marquinhos (que é bom jogador) 90 minutos.

Não podemos cair na armadilha de criticar nosso menino nesse momento, até porque nós dependemos dele e ele depende de nossa confiança.

O Alan está muito bem, é melhor do que a 90% dos meias que estão na série A. Tem muito mais a dar, é verdade, mas nesse momento é disparado o mais eficiente meia que temos.

E você, concorda com Ricardo Ferrari? Alan Patrick é mesmo essencial neste Santos?