Reveja os gols da vitória do Santos sobre o líder do Brasileiro por 3 a 0!

Parece brincadeira, mas só mesmo com contusões é que Marcel e Marquinhos saíram do Santos. E o resultado, que todo santista pedia, foi um time mais rápido, com Alan Patrick e Zé Eduardo, que goleou o Fluminense, líder do campeonato, e mostrou que o Santos poderia, sim, estar mais perto da liderança.

Gostei de todo mundo no Alvinegro, apesar de alguns deslizes do Pará, do Danilo e do Léo, e de Neymar não ter jogado tudo o que sabe.

Como se esperava, ser franco-atirador foi ótimo. O Santos jogou com uma coragem só vista na partida contra o Cruzeiro, e venceu com autoridade, apesar do equilíbrio na maior parte do jogo.

Se Marcelo Martelotte vier, na próxima partida, com Marcel e Marquinhos como titulares de novo, aí tem coisa… Hoje ficou evidente que ambos têm de permanecer no banco de reservas.

O outro titular machucado, Edu Dracena, também foi muito bem substituído pelo zagueiro Vinicius Simon. Gostei.

Zé Eduardo foi o nome do jogo. Pelos três gols e pela multipresença no ataque. O cara cai pra direita, pra esquerda, briga pela bola, leva pontapé, tenta tabelar, perde boas chances, como no primeiro tempo, mas é capaz de gols espetaculares, como os dois primeiros. Com a restrição de elenco que o Santos tem, deixar o Zé Love fora do time é burrice legítima.

Lembro-me que no começo do ano cheguei a sugerir Zé Eduardo como titular, no lugar de André. Depois, fiquei em dúvida se eu estava pensando bem quando escrevi isso. Mas nesta partida contra o Fluminense vi até que ponto Zé Love pode ser decisivo.

Rafael teve uma atuação magnífica. É preciso ser muito bom para não sofrer gols de falta de Marcos Assunção, no sábado, e Conca, hoje. O jovem goleiro do Santos, se continuar assim, deixará o nome na história do Alvinegro.

Durval foi um leão na zaga, dando o bote na hora certa; Arouca e Roberto Brum trouxeram mais segurança ao miolo da defesa e Arouca ainda apoiou bem; Danilo segurou bem as avançadas de Carlinhos na maior parte do jogo; Alan Patrick mostrou personalidade; Neymar não brilhou, mas foi importante; Zé Eduardo viveu noite de Toninho Guerreiro e o técnico Marcelo Martelotte deve ter aprendido que tem de ouvir mais a torcida.

Pene que Felipe Anderson não pôde entrar mais cedo. Quero ver um meio-campo com Arouca, Brum, Alan Patrick e Felipe Anserson, com Neymar e Zé Eduardo na frente.

O Fluminense é um bom time, mas não tem um elenco tão melhor do que o Santos. Sem Fred, machucado, e Deco, eu diria que tem uma defesa até inferior à do Peixe. Hoje o time dependeu muito da velocidade de Rodriguinho, da habilidade e do cérebro de Conca e das investidas de Carlinhos, que só desencantou no segundo tempo. Foi pouco.

Era para estar brigando pelo título

O “se” não existe no futebol, mas as análises e projeções devem existir. Veja, amigo e amiga, que não fossem os pontos bobos perdidos para adversários sem muita expressão, e, mais do que isso, os pontos perdidos para Corinthians e Fluminense, e o Santos estaria na luta direta pelo título.

No primeiro turno, o Santos massacrou o Fluminense na Vila e acabou perdendo por 1 a 0. Deveria ter vencido, o que lhe daria três pontos mais e ao mesmo tempo tiraria três pontos do time carioca.

No último clássico contra o Corinthians, na Vila Belmiro, não fosse o ambiente conturbado pela saída de Dorival Junior e a onda sobre Neymar, e poderia ter vencido o rival (sem contar ailegalidade do terceiro gol corintiano).

Vencesse estes dois jogos e o Santos teria 48 pontos hoje, enquanto Fluminense teria 49 e Corinthians 46. Sem contar que o Santos tem um jogo a menos do que o Fluminense.

Portanto, apesar de tantos resultados inesperados, como as derrotas para Vitória e Ceará, a derrota em cima da hora para o Botafogo e a derrota e o empate para o Palmeiras, o Santos poderia estar brigando cabeça a cabeça pelo título.

Na verdade, ainda está. Basta que embale uma sequência de vitórias. Gostei de ver, ao final da partida, Zé Eduardo dizer que agora o time precisa de uma vitória sobre o Atlético Paranaense, em casa. Espero que Marcelo Martelotte não invente de novo Marcel e Marquinhos. Espero que ele siga a máxima de todo treinador experiente: EM TIME QUE ESTÁ GANHANDO NÃO SE MEXE!

E você, o que achou da goleada sobre o Fluminense? E o que fazer para o sonho do título virar realidade?