Marcelo, parabéns pelos últimos resultados. Você teve o mérito de não inventar e isso se revelou decisivo. Continue assim. Quem sabe, se o Santos fizer um ótimo Brasileiro, você possa continuar no ano que vem. Para isso, entretanto, é importante tomar alguns cuidados. Permita-me, como alguém que acompanha o futebol há mais tempo do que você e tem à disposição uma comissão técnica formada por milhares de especialistas, dar-lhe alguns conselhos:

1 – Em time que está ganhando, não se mexe

Vejo que mal o Edu Dracena se recuperou de contusão e você já o escalou contra o Internacional. Ora, com o Vinicius a defesa não está tomando gols, o que satisfaz a torcida. Sabemos que o Edu Dracena é o capitão do time e tem alguma ascendência sobre o elenco, mas nunca escale um jogador a não ser por critério técnico.

Sei que após a boa vitória sobre o Cruzeiro, o Edu Dracena disse: “O nosso pensamento é de ficar com o Marcelo até o final do ano. Apesar da derrota contra o Corinthians, o time jogou bem e ganhamos confiança para exercermos as funções determinadas em campo. O resultado veio logo diante do Cruzeiro”.

Em primeiro lugar, não é o jogador que decide se vai ficar ou não com o técnico. É a diretoria, a presidência. A verdade é que o Vinicius entrou e jogou melhor do que o Dracena, conquistou a torcida. Ao voltar com o capitão, você pode ficar melhor com o grupo, mas poderá criar um barulho com os torcedores. Se o Dracena falhar e o Santos sofrer gol por causa dele, prepare-se para as críticas.

2 – Por que não voltar com Marquinhos e Marcel

Em primeiro lugar, porque sem eles o time está vencendo, e em segundo, mais importante, é porque eles tornam o Santos mais lento. Marcel é inferior a Zé Eduardo até tecnicamente. A única coisa que, teoricamente, faz melhor, é cabecear. Digo teoricamente porque, na prática, isso nunca funcionou.

Quanto a Marquinhos, é um jogador tecnicamente mais completo do que Alan Patrick, mas, como não tem muito fôlego, acaba cadenciando o jogo e freando a velocidade do contra-ataque santista.

Sei que tanto Marcel como Marquinhos são jogadores rodados, que talvez tenham mais influência no elenco, mas não adianta você ficar bem com eles e o time cair de rendimento. Uma derrota que tire o Santos do caminho do título e eles continuarão recebendo seus salários no clube, mas você será substituído.

Se tiver de substituir o Alan Patrick, experimente o Felipe Anderson. É o que o torcedor quer. Faz parte da cultura do Santos esta ansiedade por jovens valores de futebol ofensivo. Tantos já tiveram tanta oportunidade, por que não dar uma chance ao Felipe, que tem jogado muito bem na base? Tirar o Alan Patrick e voltar com o Marquinhos será uma atitude muito mal recebida pelo torcedor.

3 – Não invente. Danilo é lateral-direito, Alex Sandro é lateral ou ponta

Este conselho poderia entrar no capítulo “não invente”. Danilo, que ainda não convenceu, só joga um pouco melhor na lateral. Percebe-se que fica completamente perdido no meio. O mesmo se pode dizer de Alex Sandro, que mais parece um ponta-esquerda do que um lateral. Escalá-lo no meio não tem dado certo, a não ser que entre para jogar como um ponta que volta para ajudar o meio-campo.

4 – Dos reservas, só Madson manterá a velocidade

Como já disse, não deveria haver nenhuma alteração no time que venceu o Atlético Paranaense. Sei que para a partida contra o Internacional, amanhã, às 22 horas, na Vila Belmiro, você já poderá contar com o zagueiro Bruno Aguiar, recuperado de entorse no tornozelo, Keirrison, Marcel, Madson e Marquinhos.

Porém, não se empolgue. Só os utilize em última instância. Leve em conta que as principais armas do Santos têm sido a velocidade para atacar e também para ocupar os espaços na defesa. Além de uma determinação admirável. Destes que podem entrar, o único que não mudaria essas características é o pequeno, mas valente Madson. Repito: voltar com Marcel e Marquinhos é pedir para dizer adeus ao título.

4 – Não faça todas as substituições antes dos minutos finais

Na partida contra o Atlético Paranaense, o Santos quase ficou com dois jogadores a menos no final, pois você já tinha feito as três substituições quando Neymar e Vinicius se machucaram. Ainda bem que puderam continuar na partida, mas o risco foi grande.

Você já tinha substituído o Danilo pelo Alex Sandro no primeiro tempo e no segundo trocou o Pará pelo Maranhão e o Alan Patrick pelo Breitner. Mas esta última alteração poderia ter esperado mais. O time quase ficou com jogadores a menos nos últimos 15 minutos por você ter se precipitado nas substituições.

5 – Promova logo o Tiago Alves

Esse garoto entrou na decisão de um torneio internacional e decidiu o título para o Santos. Todos o querem ver testado no time profissional. Ninguém se esqueceu dele. Logo começarão as perguntas sobre Tiago Alves. E, não se esqueça: o futebol profissional existe devido ao interesse do torcedor. Não são os jornalistas ou os dirigentes que decidem quem será ídolo ou quem fracassará. É o torcedor que faz as escolhas. E ele quer ver o bendito Tiago Alves. Promova logo o garoto e ganhe um ponto com a torcida do Santos.

6 – Analise bem o seu adversário de amanhã

Isto eu sei que você costuma fazer bem. Em todo o caso, posso lhe adiantar que na manhã desta terça-feira o técnico Celso Roth deu um treino tático no Beira-Rio e formou o ataque com Edu e Ilan.

O técnico gaúcho deu ênfase à cobertura da defesa e treinou uma marcação por zona. Boas notícias são as de que Tinga e D’Alessandro não estavam entre os titulares.

O time provável do Inter que enfrentará o Santos será formado por Renan; Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Glaydson, Guiñazu, Derley e Marquinhos; Edu e Ilan. A delegação embarcará para Santos por volta das 14 horas de hoje.

Marcelo, não leve a mal estes conselhos. Não sou um corneteiro qualquer. Modéstia à parte, sei o que costuma dar certo no Santos. Não precisa dizer a ninguém que leu este blog, mas leve a sério estas recomendações. Não se esqueça: quem avisa, amigo é.

E você, tem mais algum conselho ao técnico Marcelo Martelotte?