Artigo de Paulo Vinicius Coelho publicado na Folha de São Paulo de ontem

O GOL de Alan Patrick ontem, contra o Palmeiras, foi o de número 159 do Santos neste ano. O gol de Defederico, do Corinthians, contra o Ceará, foi o de número 102 na temporada. Vira covardia lembrar os 76 do Palmeiras, contando o de Kleber ontem, ou os 92 do São Paulo, antes de enfrentar o Avaí.

Mas a comparação do Santos de hoje é com a história do Santos. Faltam somente oito gols para que a equipe do atacante Neymar e do meia Paulo Henrique Ganso se torne a mais goleadora da história santista desde que Pelé parou.

Os números precisos estão no computador do coordenador do Centro de Memória, na Vila Belmiro. Guilherme Guarche guarda com capricho os dados de todos os tempos. O ano de 1959 é imbatível. Foram 342 gols em 99 partidas, média de 3,45. Naquele ano, Pelé, que irá completar 70 anos no dia 23, marcou incríveis 116 com a imaculada camisa santista.

Abaixo do ano santo de 1959 vem a temporada de 1961: 338 gols em 94 partidas. A rotina se seguiu por quase uma década. Em 1962 (239 gols), 1963 (178 gols), 1968 (228 gols), até 1973 (155 gols).

Na semana recém-terminada, com a derrota de 3 a 1 para o Vasco no Rio de Janeiro no meio da semana, o Santos versão 2010 superou o de Pelé no ano de 1973, ano de seu último título estadual.

Depois de Pelé, somente uma vez a Vila Belmiro viu gols em escala tão alta. Aconteceu em 2004, com Robinho no ataque da equipe e Vanderlei Luxemburgo no banco de reservas: 166 gols em 77 partidas.

Faltam oito apenas, para Neymar ajudar o Santos de 2010 a se tornar o mais goleador desde que Pelé se foi. Mas, mesmo a comparação com o time de 2004, melhor ataque da história do Brasileirão (campeão com 103 gols), é favorável à equipe atual. Em média, este time faz 2,44 (159 gols em 65 partidas). Aquele marcava 2,15 (166 gols, 77 partidas).

O melhor ataque do Brasil no ano passado foi o do Internacional (156 gols em 76 jogos). Estamos em outubro, e o Santos já é melhor. Com mais oito gols, será o ataque mais goleador depois de Pelé. Se fizer utópicos 41 nas 12 partidas que restam até o Réveillon, poderá se tornar o primeiro Santos a atingir 200 gols em um ano desde 1970.

Neste domingo de eleições, esqueça um pouco o Brasileirão. É provável que o campeão seja o Fluminense, o Corinthians ou o Cruzeiro. Quem corre por fora é o Internacional. Mas pense no ano inteiro. Se o melhor time do campeonato for outro, o melhor time do Brasil em 2010 é o Santos de Ganso e Neymar.

O PVC é o palmeirense mais santista que eu conheço. Estou brincando, claro. É que ele gosta de história. E quem gosta e respeita a história do futebol, obrigatoriamente tem de tirar o chapéu para o Alvinegro Praiano.