Gilberto Mendes, 88 anos de juventude, autor da polêmica Santos Football Music

Falemos agora de Gilberto Mendes, um expoente da música experimental de vanguarda. Sua música incomum, fragmentada, instigante, tem sido tocada nos cinco continentes. E o melhor é que ele é santista de Santos, onde hoje à noite se apresentará no auditório do Sesc.

Ontem fui com a Suzana e os amigos Débora e Carlos vê-lo no Sesc Vila Mariana. Que criatividade! Que desafio aos nossos ouvidos, acostumados aos ritmos compassados e às rimas cruzadas.

Gilberto é tão criativo como Paulo Henrique Ganso, tão imprevisível como Edu e Robinho, tão sereno como Gylmar e Mauro.

Em pensar que este senhor alegre, cujos olhos brilham como os de um menino, já tem 88 anos. É reconhecido no mundo todo, mas continua morando em Santos, onde nasceu. E apesar de intelectual, gosta de futebol e é torcedor do Santos.

Um dia, ao ouvir a transmissão de uma partida pelo rádio do carro de um amigo, teve a idéia de produzir uma obra que retratasse os sons e os sobressaltos de uma partida de futebol. Assim criou a peça “Santos Football Music”, que conta com a participação da platéia para recriar o clima nervoso de um estádio.

Ontem fui ter com ele, pois havia a idéia de uma ária composta por ele para ser apresentada em um jogo do Santos, com a participação da torcida. Mas chegamos à conclusão de que seria muito complicado e sua música não é para as massas. Entretanto, durante o Centenário do Santos, Gilberto dispôs-se a fazer um concerto em homenagem ao time do seu coração.

Não pude ouvir “Santos Fooball Music” ontem, na apresentação no belo Sesc Vila Mariana. A música não foi incluida no programa. Então, cheguei em casa e a revi através do Youtube. Ficou curioso? Então está aqui a obra revolucionária de Gilberto Mendes. Contate que até na arte pós-modernista o Santos se destaca.

Gostou? Não precisa entender, só sentir. Mas estou achando que a música para um estádio todo cantar tem de ser samba, marcha ou rap. O que acha?