O inferno de La Bombonera e o alçapão de La Belmironera

Não há dúvida de que, aproveitando a oportunidade da Copa do Mundo de 2014, o Santos gostaria de construir estádio maior e mais moderno do que a Vila Belmiro. É claro que se aparecer o dinheiro – público ou privado – o clube topa qualquer negócio. Mas, a impressão que se tem ao ouvir os pronunciamentos de seus dirigentes, é que ainda não há o mínimo planejamento a respeito.

Ontem o diretor de patrimônio do Santos, Luiz Fernando Vella, disse que está sendo analisado o projeto de se construir um estádio em Cubatão para 35 mil pessoas. Ora, de que adiantará ter um estádio maior e não pode jogar a final de uma Copa Libertadores nele, já que a capacidade mínima para receber uma decisão da competição sul-americana é de 40 mil espectadores?

Bem mais viável, se a idéia for mesmo construir um estádio em Santos, é entrar em acordo com a Portuguesa Santista e com a prefeitura da cidade e, juntos, erguerem uma grande arena municipal na área hoje ocupada pela Portuguesa Santista e a Associação Atlética dos Portuários, entre a Vila Belmiro e o CT Rei Pelé.

Seria o local ideal e valorizaria os dois clubes, além de servir aos espetáculos esportivos e culturais da cidade e de toda a Baixada Santista. Sei que houve uma resistência inicial do presidente da Briosa, mas é só questão se sentar e conversar até que o acordo seja bom para todos.

Diadema também se interessa

Se é para fazer fora de Santos, por que não Diadema, às margens da rodovia Imigrantes, encravada em uma região rica e coalhada de santistas? O secretário de esportes da cidade, Rubens Xavier, e o prefeito, Mário Reali, estão abertos para conversar com a diretoria do Santos.

O bom de Diadema é que o projeto já foi aprovado por investidores internacionais, que julgaram a região propícia para um estádio de 40 mil pessoas. Tratam-se de profissionais do ramo, que analisam a viabilidade do empreendimento baseados unicamente em fatores econômicos.

Antes que me acusem de paulistano demais, o que não é verdade – e a enquete que está à esquerda mostra bem como este blog é democrático –, eu digo que preferiria um estádio em Santos, desde que ele pudesse ter a média de público que um time grande necessita para manter-se grande.

Se os estudos provarem que isso é impossível, então apoio o estádio às margens da Imigrantes, na região do município de Diadema, pois ele certamente atrairá públicos numerosos e não será deficitário.

E a Villa Belmironera?

De todos os projetos de estádios, porém, sei que a maioria dos torcedores do Santos, e a enquete do blog mostra isso, gostaria de ver a Vila Belmiro transformada em uma La Bombonera brasileira, ou La Belmironera.

Arquibancadas mais verticalizadas e um planejamento acústico, como o que foi feito no estádio do Boca Juniors, faria o som reverberar ainda mais no campo de jogo, animando os santistas e fazendo o adversário sentir ainda mais a pressão de jogar na Vila.

Teriam de ser desapropriadas algumas casas? Tudo bem. Ainda assim seria mais barato do que construir um estádio novo. Remodelando o estádio de forma a caber 25, 30 mil pessoas, o Santos teria um super alçapão que o faria ainda mais temido por qualquer visitante que jogasse lá.

E você, gosta de idéia do La Belmironera? Ou prefere Diadema? Ou o estádio no terreno da Santista? Ou em Cubatão?