Decisão soberana: domingo o Morumbi receberá um público pequeno

De nada adiantaram as negociações para que mais santistas pudessem assistir ao clássico de domingo. Como o estádio do Morumbi comporta 70 mil pessoas e a torcida são-paulina tem proporcionado média inferior a 13 mil pessoas por jogo neste Brasileiro, esperava-se que o São Paulo pudesse ceder no mínimo 10 ingressos para os torcedores do Santos, mas o clube paulistano decepcionou mais uma vez:

“Serão 3.600 ingressos: Mil e seiscentos a serem vendidos nas bilheterias do Morumbi e dois mil na Vila Belmiro. E olhe que não foi fácil, pois queriam dar apenas dois mil no total”, informa Horácio de Souza Lopes, do setor de arrecadações do Santos.

Segundo Horácio, o São Paulo alegou que no primeiro turno, na Vila Belmiro, o Santos cedeu apenas 500 ingressos. Então, agiu agora da mesma forma. “Mas a diferença do tamanho dos estádios é enorme”, acrescenta o funcionário do Santos.

Claro, na Vila Belmiro só cabem 15 mil pessoas, e um clássico é o tipo de jogo que faz os santistas lotarem o estádio. Reservar 500 lugares aos visitantes é o mesmo que impedir 500 santistas de ver o jogo.

Mas no Morumbi a possibilidade de que os santistas ocupem lugares que normalmente seriam de são-paulinos não existe, já que no máximo o São Paulo atrairá 30 mil torcedores para o jogo de domingo, o que fará com que 40 mil lugares fiquem vazios.

Prejuízo anunciado

Na verdade, não espero mais do que 20 mil são-paulinos para ver o San-São. Isso porque o São Paulo tenta, na melhor das hipóteses, uma vaga na Copa Libertadores, o que fere o orgulho do torcedor tricolor, acostumado a ver o time brigar por títulos.

O jogo contra o Santos é uma das últimas oportunidades do São Paulo de conseguir um bom faturamento em seu estádio. A decisão de reservar apenas 3.600 ingressos aos santistas é extremamente amadora, pois acabará resultando em um público pequeno e uma renda desprezível.

Como a influência da torcida, no Morumbi, é menor, o fato de ter mais torcedores nas arquibancadas não garantirá a vitória do São Paulo, resultado que poderia vir em quaisquer circunstâncias.

Enfim, este episódio mostra bem como a profissionalização do futebol brasileiro anda a passos de tartaruga e como a mentalidade do dirigente esportivo do Brasil, mesmo de um clube que se diz moderno, como o São Paulo, é absurdamente tacanha.

Por uma vingançazinha besta o São Paulo decreta que um dos clássicos mais tradicionais do futebol brasileiro será jogado em um grande elef…, digo, estádio vazio. Ótimo. Tudo isso para quebrar um tabu? Veremos…

Você se surpreendeu com a mesquinhez da soberana diretoria do São Paulo, ou já esperava uma atitude assim?