Um estádio no mar que se torne a maior obra arquitetônica da Baixada Santista, que valorize a região e atraia turistas do mundo todo: este é o estádio que o Santos merece.

Já que a maioria dos santistas prefere que o estádio definitivo do Alvinegro Praiano seja em Santos e já que ele teria de ter características especiais para atrair também santistas da capital e do interior, por que não se pensar na possibilidade de um estádio no mar?

O projeto já existe. Foi feito pelo arquiteto espanhol Emili Vidal, sócio do Barcelona, que propôs à diretoria de seu clube a construção do estádio em uma ilha artificial na Catalunha, próxima à Barcelona. Ele teria capacidade para 150 mil pessoas e seria ligado ao continente por uma ponte.

Em Santos, cujo mar, tranqüilo, também permitira tal obra, a arena poderia ter uma dimensão três vezes menor, já que uma capacidade de 50 mil pessoas seria mais do que suficiente para o clube fazer todos os seus jogos, mesmo as decisões da Copa Libertadores.

O Barcelona, entretanto, preferiu modernizar o seu estádio, aumentando a capacidade do Camp Nou em dez mil pessoas, passando a 100 mil lugares. A reforma foi estimada em 250 milhões de euros, menos do que seria necessário para a construção do estádio no mar de Santos.

Um patrocinador óbvio para este estádio do Santos, que finalmente faria jus ao apelido de baleia, ou leão do mar, seria a Petrobrás, que se fixará na região por anos a fio por conta das explorações do pré-sal.

Uma arena turística

Mais do que futebol, o estádio do Santos nos litorais do Atlântico contaria com restaurantes, lojas, museus (oceanográfico, de futebol…), cinemas, teatro, shows e se tornaria o maior ponto turístico da cidade. Assistir uma partida de futebol no estádio do Santos no mar seria um programa indispensável para todos os amantes do futebol, santistas ou não.

E você, o que achou da idéia do estádio do Santos no mar?