Se a equipe teve 37 jogos para impedir o rebaixamento e não conseguiu, por que, por dinheiro, na última rodada, vai atrapalhar o título e a festa do Fluminense, no Rio? Com este raciocínio, lógico, a maior torcida organizada do Guarani, a Fúria Independente, protestou esta semana no estádio Brinco de Ouro contra a mala branca que Corinthians, e talvez o Cruzeiro, devem oferecer aos jogadores do time de Campinas para ao menos empatar com o Fluminense, no Engenhão.

Como se sabe, a coisa foi feia. A Polícia Militar foi chamada e teve até tiros para o alto dados por um segurança. Cerca de 40 integrantes da Fúria, que tem uma aliança com a torcida do Fluminense, pediram a saída do presidente do Guarani, Leonel Martins de Oliveira, e pressionaram para que o time entregue o jogo de amanhã, às 17 horas. Uma bandeira do clube carioca era agitada enquanto os torcedores gritavam palavras de ordem, como: “Se o Flu não ganhar, o pau vai quebrar”.

Patrocínio não foi avisado aos jogadores

O que irritou ainda mais a torcida foi saber que, segundo a Rádio Central de Campinas, o clube fechou um patrocínio de R$ 400 mil com a CPN Engenharia para os últimos quatro jogos do campeonato, e o dinheiro seria dividido entre os jogadores caso o time se salvasse do rebaixamento. Só que, estranhamente, os jogadores – os mais interessados na premiação – não foram avisados sobre este incentivo.

Time desfalcado

Para completar o quadro sombrio, o técnico Vagner Mancini não poderá contar com Mazola, Baiano e Reinaldo, suspensos, e Douglas, Fabão, Rodrigão, Aisla, Preto e Ricardo Xavier, machucados. Para completar o elenco, Mancini teve de chamar dois jogadores da base: Douglas e Pablo, de 17 anos.

Título Delivery

Com a perspectiva de que o Fluminense seja agraciado, pela terceira vez consecutiva, com um adversário que não estará interessado em impedir sua vitória, cristaliza-se a conquista de um título que ficará famoso pelas entregas.

Mesmo tendo conseguido uma sequência de quatro vitórias no primeiro turno, e de três no segundo, a verdade é que o tricolor carioca está prestes a realizar a pior campanha de todos os campeões brasileiros desde a era dos pontos corridos, iniciada em 2003.

Excluindo-se os jogos suspeitos contra São Paulo e Palmeiras, neste segundo turno a campanha do Fluminense é sofrível: com sete vitórias, cinco empates e quatro derrotas, ou apenas 54,1% de aproveitamento, o time será campeão sem convencer.

Veja agora um filme que mostra o protesto da torcida do Guarani contra a possibilidade de o time complicar a vida do Fluminense:

Torcidas que ameaçam agredir jogadores de seu time se eles não perderem… Isso não está bem maluco? No caso, você acha que a torcida do Guarani tem razão de protestar?