Está tudo muito bom, está tudo muito bem, mas o Santos tem um problema: ficará sem centroavante. Na verdade, o problema é dinheiro e por falta dele o clube teve de vender André e agora fará o mesmo com o surpreendente Zé Eduardo, que vive a melhor fase de sua carreira.

Zé Eduardo pode não ser um craque, mas é ágil, raçudo, bate bem na bola, enfim, um fazedor de gols muito bom. E já está entrosado com o resto do time. Perdê-lo agora, por 2,7 milhões de euros (a parte que caberá ao Santos), só pode ser um bom negócio se for possível trazer um jogador melhor. Pois sem o Zé o time ficará, momentaneamente, sem um centroavante à altura.

A esperança Keirrison, uma das contratações mais ousadas da diretoria, que veio para o lugar de André, até agora não jogou pelo Santos e, pelo jeito, encerrará o seu contratado de empréstimo – em julho deste ano – sem o fazer. Dispersivo, errático, inseguro, o jogador que o Barcelona comprou do Palmeiras por R$ 44 milhões não é nem sombra do que foi quando começou no Coritiba e tinha a mania chata de fazer muitos gols no Santos.

Se fosse possível devolvê-lo, ou passá-lo a outro time, seria melhor. Pagar o teto do clube – R$ 160 mil – para um jogador inútil, é jogar dinheiro fora. E o torcedor, sábio como sempre, está percebendo essas incongruências da diretoria.

Zé Eduardo disse que pela metade do salário que o Genoa lhe ofereceu, ficaria no Santos (o atacante Maikon Leite também ficaria no clube por um salário menor do que o de Keirrison). E ainda há a promoção de Dimba. Se foi promovido, vai assinar contrato como profissional e ganhar um salário. Não sei quanto ele vai receber, mas já aviso que, pelo que ele joga, qualquer valor será caro.

A impressão que fica é que, no caso do centroavante, o Santos está gastando vela com defunto ruim. Como ficar com Keirrison e Dimba para disputar a Libertadores seria um absurdo descomunal, acredito que a saída de Zé Eduardo implicará a contratação de alguém.

Mas aí é que está: quem está no mercado que possa ser contratado por 2,7 milhões de euros e seja melhor do que Zé Eduardo? O medo é trocar seis por três, e o clube que tinha André e Zé Eduardo brigando pela posição, agora fique sem ninguém para ocupá-la.

Enfim, a posição de centroavante tem sido o calcanhar de Aquiles nesse planejamento do Santos para 2011. Justo nesta posição-chave – que já foi ocupada por foras de série como Feitiço, Pagão, Coutinho, Toninho Guerreiro, Juary – o clube não se acerta, desfazendo-se dos melhores e mantendo alguns que não seriam titulares nem no time de juniores.

Bem, como a saída de Zé Eduardo parece inevitável, quem o Santos deve contratar para a posição? Sugira e explique sua escolha.