Veja como o Santos é um time de sorte. Eu diria predestinado. Ontem Marta recebeu o quinto prêmio consecutivo de melhor jogadora do mundo e hoje, às 22 horas, estará vestindo a camisa 10 do Alvinegro Praiano contra a Foz Catarata, de Foz de Iguaçu, pelo Torneio Internacional de Araraquara – jogo que deverá ser transmitido pela BandSports, com narração de Luciano do Valle.

Olha só a sorte do pessoal de Araraquara e região, que poderá ver a melhor do mundo em campo, ao lado da também craque Maurine. O Santos já está classificado para a final, que será jogada sábado, às 16 horas, contra a segunda colocada – disputa que está entre Palmeiras, Umea IK e a própria Foz.

O ritual de passagem dos Meninos do Narciso

Se para as garotas o dia é de festa, para os Meninos treinados por Narciso é de muita apreensão. O Santos joga a última partida da fase classificatória logo mais, às 18 horas, contra o São Carlos, e precisa da vitória para seguir em frente na Copa São Paulo de Futebol Junior. O problema é que, além de não estar jogando bem, o adversário é o líder do grupo, jogará pelo empate e com o apoio de sua torcida.

Dos grandes times do futebol brasileiro que participam da Copa, o Santos tem sido uma das maiores decepções. Ninguém põe a bola no chão e sai tocando. Todos querem resolver tudo sozinho. O resultado é um time previsível no ataque e cheio de buracos na defesa.

A impressão que se teve até agora é que não só os jogadores estão perdidos, mas o técnico Narciso também. Na última partida substituiu Geovane aos 44 minutos do primeiro tempo (?!). Tiago Alves e Crystian, duas das esperanças santistas, têm se revelado fominhas ao extremo.

Além dos primeiros colocados de cada grupo, os nove melhores segundos colocados também passarão para a outra fase. Mas se o Santos empatar, ficará com apenas cinco pontos, o que deverá ser insuficiente para lhe garantir a classificação.

O jogo será tenso e, a exemplo da partida do time de Marta, à noite, deverá dar ótima audiência. O Sportv transmitirá a partida e a narração deverá ser do ótimo Odinei Ribeiro.

O choro do Ganso

O pedido público de aumento de Paulo Henrique Ganso descortina erros de ambos os lados. Do jogador e do clube. Para um menino que há oito anos se valia da venda de churrasquinho da mãe (a 50 centavos cada) para viajar com o time de futebol de salão para Recife, reclamar que está ganhando “só” 130 mil reais por mês é loucura.

Até porque nos últimos cinco meses ele não jogou e embolsou 650 mil só em salários, fora os cachês que recebe por conta de sua popularidade adquirida jogando com a camisa do Santos.

Temo que essa garotada demore para entender que na vida há outras coisas valiosas além de dinheiro. E pra entender também que se querem mesmo ser 100% profissionais, que cumpram os contratos que assinam, e o de Ganso vai até 2015.

Por outro lado, clube que tem no seu elenco um jogador como o Ganso não pode ficar um dia sem falar com o rapaz. Que seja o técnico, o diretor de futebol, o presidente… O jogador é o único artista. Todos os outros, eu disse todos, são meros coadjuvantes.

Essa diretoria precisa conversar mais com os jogadores, saber o que pensam. O torcedor tem sido pego de surpresa com notícias ruins. Isso não pode acontecer em um time que se resume a um jogo de camisas.

O Santos não é um banco, uma instituição financeira, uma grande empresa. O Santos é só um time que deve seu prestígio à qualidade de seus jogadores. Espero que a diretoria entenda isso de uma vez por todas e dê mais atenção ao bem mais precioso do clube.

Bem, isso é o que eu penso. E você? Tem algo a dizer sobre Marta, os Meninos do Narciso e o choro do Ganso?