Como aconteceu com Robinho no ano passado, o primeiro clássico de Elano na sua volta ao Santos representou uma boa vitória sobre o São Paulo, na Arena Barueri, com gol dele. Mesmo sem os titulares Paulo Henrique Ganso, Neymar, Arouca e Jonathan, e ainda sem estrear Charles e Diogo, o Santos foi mais eficiente e venceu por 2 a 0, chegando a dar olé nos minutos finais, quando Léo perdeu boa chance para ampliar o marcador.

Confesso que imaginei que o meio-campo são-paulino, mais experiente, onde se sobressai Rodrigo “visibilidade” Souto, pudesse fazer a partida pender para o tricolor, que jogou completo e este ano está priorizando o Campeonato Paulista, já que está fora da Libertadores.

Mas a aplicação de Adriano, Rodrigo Possebon e Róbson, além da categoria superior de Elano, equilibraram as coisas por ali. Na defesa, onde se destacou o lateral Léo, o Santos se segurou bem, e no ataque Maikon Leite e Keirrison se movimentaram bastante, além de ajudarem na marcação.

O São Paulo teve a posse de bola mais tempo e chegou a criar boas chances, mas os santistas foram mais eficazes e mereceram a vitória. O Santos começou melhor e chegou ao gol aos 10 minutos, após roubada de bola de Maikon Leite e ótimo passe de Róbson para Elano vir de trás e cabecear à queima-roupa.

A partir do gol o Santos recuou e esperou a oportunidade dos contra-ataques, cedendo campo ao adversário. O empate perigou em alguns momentos, mas aos 28 minutos do segundo tempo deixaram Elano livre para chutar. Mesmo de fora da área, o arremate veio forte, seco, no canto, e Rogério Ceni não conseguiu segurar. No rebote, Maikon Leite fez 2 a 0 e definiu o jogo.

No final, Léo entrou livre pela esquerda, cortou o zagueiro e, diante de Ceni, chutou em cima do goleiro. Os últimos minutos foram de bola correndo de pé em pé entre os santistas, com a torcida gritando o tradicional olé.

Elano, Léo e Róbson, os destaques

Desta vez, quase todos os santistas se saíram bem. Adriano, Pará e Edu Dracena deram pequenas cochiladas, mas no todotiveram umbom desempenho. Gostei da aplicação de Rodrigo Possebon, que roubou boas bolas na entrada da área e preferiu passar a dar um bico pro mato.

Na frente, Maikon Leite e Keirrison se mexeram bastante. Parece que o K9 aos poucos está redescobrindo o seu futebol. Tirando Elano, que é o maestro desse time – que terá dois maestros quando Ganso voltar –, acho que o destaque, de hoje, além de Léo, foi Róbson.

O reserva de Ganso colaborou decisivamente nas jogadas de ataque, a ponto de dar um passe espetacular, no ponto futuro, para Elano abrir o marcador, e também ajudou com eficiência na marcação, o que foi essencial para equilibrar as coisas no meio-campo.

Outro que me surpreendeu positivamente, apesar de ter jogado apenas alguns minutos, foi Felipe Anderson. Tocou, driblou, deu um passe para Maikon Leite que poderia ter resultado no terceiro gol… Enfim, mostrou que está disposto a mostrar, finalmente, o futebol que se espera dele.

Com a vitória, o mistão do Santos continua líder, com 13 pontos e um saldo de gols melhor do que o Palmeiras. Elano e Maikon Leite são os artilheiros do Paulistão, com cinco gols cada. Ou seja, o Paulista continua como terminou em 2010.

Santos 2, São Paulo 0

Arena Barueri, 17 horas

Santos: Rafael, Pará, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano (Bruno Rodrigo), Possebon (Anderson Carvalho), Elano e Róbson (Felipe Anderson); Maikon Leite e Keirrison. Técnico: Adilson Batista

São Paulo: Rogério Ceni; Jean, Xandão, Miranda e Juan (Luiz Eduardo); Rodrigo Souto, Zé Vítor (Marlos), Carlinhos Paraíba e Fernandinho; Dagoberto (Marcelinho Paraíba) e Fernandão. Técnico: Paulo César Carpegiani

Gols: Elano, aos 10 minutos do primeiro tempo; Maikon Leite, 28 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos: Carlinhos Paraíba, Marlos (São Paulo), Pará, Elano (Santos)
Público e renda: 9.334 pagantes, R$ 213.960,00

Árbitragem: Salvio Spinola Fagundes Filho, auxiliado por Emerson Augusto de Carvalho e Anderson Jose de Moraes Coelho. Assistentes adicionais: Jose Claudio Rocha Filho e Rodrigo Braghetto.

Golaço de Marta na preliminar

Eu bem que avisei para chegar mais cedo. Quem fez isso viu um golaço de Marta, que marcou dois na goleada de 5 a 1 sobre o Juventus. Em um deles, a melhor jogadora do mundo, que ainda fará mais uma partida pelo Santos, nesta semana, driblou várias adversárias, a goleira, e jogou a bola para dentro do gol de “chaleira”, ou letra.

E você, o que achou de Santos 2, São Paulo 0? Quais foram os santistas que se destacaram?