Ganso e os santistas: uma relação de amor que nunca vai terminar

Ganso quer um aumento. Ótimo. Vai ter. Não porque usou um repórter como confidente (da próxima vez um padre seria mais aconselhável), mas porque merece. E o Santos e os santistas adoram o Ganso e o querem por toda a vida. Ou ao menos até 2015, prazo final do seu contrato. No mais, é pura especulação, da qual todo grande astro do Santos já foi vítima. Entre eles, o maior de todos: Pelé.

Sim, várias vezes a imprensa esportiva brasileira disse que Pelé deixaria a Vila Belmiro. Ou para um time estrangeiro, ou mesmo para um outro do Brasil. Uma delas ocorreu logo depois do casamento do Rei, com Rose Cholbi, no Carnaval de 1966. Pelé, coisa rara, teve direito a umas férias e foi passar a lua-de-mel na Europa. Neste ínterim surgiu o boato de que todo o elenco estava revoltado com ele por não ficar e disputar o Torneio Rio-São Paulo.

Foi preciso que os jogadores do Santos assinassem um comunicado à imprensa desmentindo o noticiário. Dizia o comunicado:

Tendo em vista as notícias divulgadas sobre possíveis desentendimentos entre nós, integrantes do plantel de futebol profissional do Santos FC, atingindo de forma especial o nosso colega Edson Arantes do Nascimento (Pelé), no momento ausente do País em companhia de sua exma. Esposa, em gozo de merecidas férias, cumpre-nos declarar que somos amigos e admiradores do maior e mais correto atleta profissional do mundo e que os nossos laços de amizade só tendem a se unir cada vez mais para o engrandecimento e progresso do Santos FC – 25/02/1966 – assinam o manifesto todos os atletas profissionais e o técnico Lula.

Em Viena, na Áustria, pressionado pela imprensa estrangeira sobre a possibilidade de se transferir para um clube da Europa, Pelé foi taxativo:

Só sei de uma coisa: eu não deixo o Santos!

O presidente do Santos, Athié Jorge Cury, irritado com os boatos plantados na imprensa, declarou:

O Santos continuará sua vida, acima da mesquinhez de interesses subalternos.

Esta história foi extraída do livro A DÉCADA DE OURO, de Guilherme Gomez Guarche.

Como se sabe, Pelé continuou no Santos mais oito anos, até 1974, e foi se aposentar semeando o futebol nos Estados Unidos, pelo Cosmos de Nova York.

Acho que pegar um garoto de 21 anos em um momento em que está se sentindo deprimido e decretar que o namoro dele com o Santos está no fim é um tanto precipitado. Quando voltar a jogar e sentir de novo o carinho do torcedor santista, que o adora, duvido que Paulo Henrique Ganso não volte a sorrir.

Quanto ao outro detalhe, o salário, é claro que ele será reajustado. Mas o que o clube quer dar ao seu Maestro Menino é mais do que muito dinheiro. Isso, muitos outros atletas ganham sem jogar metade da bola do Ganso. O clube quer lhe oferecer um plano de carreira que o consolide como um dos maiores ídolos do futebol brasileiro. E, no Santos, o Ganso deveria saber, esses planos têm muita chance de dar certo.

Reveja alguns lances do Maestro:

Você quer que o Ganso fique no Santos até quando?