O técnico Adilson Batista já tem na cabeça os nomes dos 25 jogadores que inscreverá na Libertadores. Mas o jogo de amanhã, às 21 horas, contra o Noroeste, quando Adilson dirigirá o time pela primeira vez na Vila Belmiro, poderá provocar algumas mudanças. As únicas prováveis podem ser as entradas de Felipe Anderson e Vinicius Simon.

O futebol do garoto Felipe Anderson cresce a cada jogo. Mais à vontade nos treinamentos, tem demonstrado aos companheiros que é um extra-classe, tem um controle de bola e uma visão diferenciadas. Mas hoje estaria fora da lista, preterido pelos mais experientes Róbson e Alan Patrick.

Mesmo com pré-contrato já assinado com o Avaí, Robson fez bons jogos pelo Santos este ano, está mais experiente, e não perderá a vaga para Felipe Anderson em uma competição que exige tanta experiência como a Libertadores, a não ser que Felipe arrebente no jogo contra o Noroeste.

É mais fácil Felipe entrar no lugar de Alan Patrick, que não vem tendo oportunidades na Seleção Sub-20 e, quando entra, não realiza nada de extraordinário. Porém, pelo que já fez no Santos, chegando a ganhar a posição do tarimbado Marquinhos, Alan Patrick dificilmente será esquecido.

Vinicius Simon treina. Ainda tem chances

Ontem Vinicius Simon participou normalmente do treino realizado na Vila Belmiro. Não tem qualquer problema de contusão. Tecnicamente, ao menos para os leitores deste blog, tem amplas condições de ser incluído na lista, no lugar de Bruno Rodrigo ou Bruno Aguiar. Resta saber se não há mesmo problemas contratuais entre ele e o clube que estão impedindo sua escalação.

Para o craque Lima, herói das conquistas do bicampeonato mundial em 1962/63, Vinicius Simon não é um zagueiro nato, mas um ótimo volante, sua posição original. Foi Lima quem o revelou ainda nas divisões de base do Alvinegro.

Para muitos, Adilson Batista aproveitará a partida contra o Noroeste para testar Felipe Anderson e Vinicius Simon, os únicos que ainda podem entrar na sua lista. Esperemos.

Festa do Octa

Hoje, a partir das 19 horas, no salão de mármore do Santos, acontece a “Festa do Octa”, com a presença dos lendários jogadores campeões brasileiros nos anos 60. Este que vos fala estará lá, convidado pela diretoria, ao lado de Suzana Silva, minha mulher, aquela que impediu que deixássemos de “fechar o ciclo”.

É uma festa que celebrará o justo reconhecimento por conquistas memoráveis, conseguidas no período áureo do futebol brasileiro. José Carlos Peres e eu sentimo-nos honrados e extremamente felizes pela oportunidade de participar desse trabalho tão relevante não só para o Santos, mas para outros cinco grandes clubes do país.

Você acha que Felipe Anderson e/ou Vinicius Simon devem entrar na lista da Libertadores, ou com Róbson, Alan Patrick e os dois Brunos (Aguiar e Rodrigo) o Santos estará bem servido?