Preocupações de Jorge Pinto: a bola “quieta” de Elano e as improvisões de Neymar.

O colombiano Jorge Luis Pinto, técnico do Táchira, admite a qualidade técnica do Santos e a vantagem do time brasileiro de contar com jogadores como Elano e Neymar, “presente e futuro da mesmíssima canarinha” Mas mesmo assim fala em surpresa no jogo desta noite. Diz ele:

“São quatro times copeiros (incluindo Colo Colo e Cerro Porteño) e o futebol internacional está mais equilibrado a cada dia. Destacamos a qualidade técnica de Santos, mas somos uma equipe que tem demonstrado que temos comportamento tático e dinâmica de jogo para este evento internacional”.

“Vamos jugar de “tú a tú” (acredito que queira dizer de “igual para igual”), e, especialmente nesta partida, tendo cuidado com algumas coisas. Queremos ser muito compactos para neutralizar o toque e a criatividade deles, mas temos de atacá-los”.

Quando lhe perguntaram o que Tachira deveria fazer para neutralizar o jogo do Santos, Jorge Pinto respondeu: “Nós temos conceitos defensivos muito claros, tanto individuais como coletivos. Sabemos presionar, sabemos quando temos de dobrar (acredito que signifique “dobrar a marcação”), enfim, há muitos conceitos que teremos de aplicar a (ao jogo com o) Santos com perfeição”.

O técnico disse que espera que o desfalque do atacante Julio Gutiérrez, machucado, não pese muito. Destacou ainda que seu time terá de ter muito cuidado com “la pelota quieta”, que é como chamam a “bola parada”. Explicou: “Tienen a Elano”.

Finalmente, disse que Neymar deve estar muito desgastado pelo campeonato sub-20, mas mesmo assim merece respeito e cuidado: “Temos de ter muito cuidado porque é um jogador que improvisa bem e “hay que saberlo manejar en el accionar individual” (entendo que o técnico teme que Neymar provoque muitas cartões ou expulsões em seus jogadores, por isso é preciso muito tato para marcar-lhe individualmente).

E você, acha que o Jorge Pinto está com medo de Elano e Neymar ou, apesar dos cuidados, armará um time para surpreender o Santos?