No café da manhã que 18 blogueiros tiveram ontem com o presidente do Santos, Luis Álvaro Ribeiro, ficou evidente que o clube não cogita fechar contrato com a TV Record, mesmo que esta ofereça bem mais do que a Globo pelos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro.

A origem do dinheiro que enriquece a Record, o dízimo pago por milhões de fiéis, incomoda o presidente Luís Álvaro. Também causa desconforto o fato de a Record não ter tradição em transmissões de futebol, não manter uma grade que privilegia o esporte e não contar com os mesmos equipamentos da Globo.

Lembrei-lhe que neste blog, refletindo a opinião do torcedor do Santos, a maioria prefere que o clube feche com a Record e fuja do monopólio da emissora carioca, mas Luís Álvaro respondeu que o torcedor pensa assim porque não está bem informado.

Segundo ele, não há garantias de que a Record transmita os jogos, mesmo que ganhe a concorrência. E, pelo que entendi, sem Corinthians e Flamengo, o Clube dos 13 tenderia a favorecer o São Paulo, que passaria a receber a maior cota, com exceção dos dois mais populares do Brasil.

O presidente garantiu que mesmo negociando em separado, a diferença dos valores pagos a Flamengo e Corinthians para o Santos será de 18%, não mais do que isso. Por outro lado, o Alvinegro da Vila Belmiro, segundo a proposta da Globo, receberia tanto quanto São Paulo, Vasco e Palmeiras.

Argumentei se não seria melhor valorizar mais o mérito esportivo do que o número de torcedores de cada clube, mas o presidente respondeu que é a lei do mercado e que o time que tem mais audiência quererá receber mais por isso. Entendi que seria impossível um movimento político dos outros clubes para impedir que Flamengo e Corinthians sejam privilegiados.

Se a moda de maior torcida pega, a Seleção Brasileira passará a receber cotas menores do que a China, ou a Índia, ou o Paquistão, que têm muito mais habitantes/torcedores do que o Brasil. Enfim, não acho esse critério ético ou justo, mas parece que os clubes nada farão contra ele.

Estatuto

Amanhã, sábado, é dia de votar o novo estatuto do Santos. Todos os sócios estão convidados. Será na Vila Belmiro. O novo estatuto prevê que o associado poderá votar nas eleições para presidente depois de apenas um ano de filiação, e não de três, como tem sido hoje. Cada mandato terá três anos e o presidente poderá ser reeleito por um mandato, ou seja, poderá permanecer, ininterruptamente, seis anos no poder. Mas o poder não será absoluto, como antes, já que seus atos serão supervisionados por um colegiado.

Que golaço do Táchira

A boa notícia do dia é o golaço de Sérgio Herrera, atacante do Táchira, que impediu que o Cerro Porteño disparasse na liderança do grupo do Santos na Libertadores. Justamente quando o comentarista do Sportv dizia que o Cerro controlava o jogo sem dificuldade, saiu o gol de empate do Táchira, que depois garantiu o resultado de 1 a 1 com bravura.

Em pensar que se segurasse a vitória contra o Cerro por mais um minuto o Santos agora jogaria pelo empate com o Colo Colo, no Chile, para assumir a liderança do grupo. De qualquer forma, com dois empates fora de casa e duas vitórias no Brasil o Santos deve passar para a próxima fase.

Reveja os gols de ontem, de Cerro Porteño 1, Deportivo Táchira 1, em Assunção.

E você, o que acha das cotas de tevê, do estatuto e do Santos na Libertadores?