Gosto da volta de grandes jogadores brasileiros que estavam na Europa, como Adriano e Luís Fabiano, porque isso enriquece nosso futebol. Mas tenho consciência de que, quando voltam, é porque não estão tão bem por lá ou a idade está começando a pesar. Bem melhor seria manter os craques por aqui quando estão no auge da forma, como nos casos de Ganso e Neymar.

Sinceramente, acho que Ganso é um caso perdido. Ele está com esse discurso de que cumprirá seu contrato com o Santos até 2015, mas daqui a três meses, quando os europeus colocarem o dinheiro na mesa, ele ficará todo assanhado para ir embora. O que o Leonardo, da Inter, deve ter feito a cabeça dele, não está no gibi.

O máximo que o Santos deve fazer com ele é não reduzir um centavo da multa. Se quiser levar, pague. E corra os riscos, pois na verdade o rapaz ainda não está 100% fisicamente. Após seis meses afastado, voltou um tanto claudicante, com receio das divididas.

O ideal seria ficar no Santos até que se sentisse tão bem como antes da cirurgia no joelho. Mas a janela de transferências é no meio do ano e estou achando difícil que, a exemplo de Neymar, Ganso recuse a oferta de um time europeu e tenha de esperar mais um ano para ir embora.

Todo o esforço vale para manter Neymar

Ganso é um cracaço e pode se tornar um dos grandes maestros do futebol, como Zidane, Riquelme, Verón… Seria ótimo, para o Santos e para o futebol brasileiro, que ele continuasse por aqui por mais alguns anos. Mas quando um jogador põe na cabeça que tem de ir embora, é como mulher que quer transar. Ninguém segura.

Neymar já é outro papo. Acho que para mante-lo, o Santos deve fazer um esforço maior, pois apesar de tecnicamente ser igual ou até um pouco inferior ao Ganso, no quesito carisma não se compara. E o garoto gosta mais do time, da cidade, ele se sente em casa no Alvinegro Praiano.

Depois da exibição – de repercussão mundial – em Londres, Neymar se firma como a maior celebridade esportiva do Brasil no momento. A tendência é de que seja bastante requisitado pelo mercado publicitário e possa engrossar seus rendimentos com cachês milionários, sem precisar sair do Brasil.

Além das parcerias, o Santos pode destinar ao seu ídolo parte das verbas que receberá este ano. Por fim, em uma iniciativa um tanto desesperada, mas viável, o torcedor santista poderia contribuir para manter Neymar por aqui. Um milhão de pessoas doando 10 reais cada uma, dá para garantir Neymar mais um ano entre nós. Acho que se for só questão de grana, dá para segurar o idolo aqui.

Podem me xingar, podem falar o que quiserem, mas eu pagaria bem mais do que 10 reais por ano para segurar o garoto que não só aumenta a chance de o time ser campeão, como proporciona uma visibilidade extraordinária ao Santos e atrai um número incontável de novos torcedores.

Futebol Europeu x Malhação

Um colega jornalista de tevê fechada ficou surpreso quando leu uma mensagem de Neymar no twitter e percebeu que o rapaz assistia um capítulo de Malhação ao invés de acompanhar um jogo importante do futebol europeu. Este jornalista ficou escandalizado e disse que o craque do Santos já deveria estar vendo os times europeus jogarem, já que no futuro estará atuando lá.

Ah, como eu gostaria que Neymar queimasse a língua desse colega! Onde está escrito que jogador brasileiro não pode ser o senhor de seu destino? Onde está escrito que ele é obrigado a jogar na Europa? O que acrescentou nas carreiras de ídolos como Zico e Sócrates jogar em times secundários do futebol italiano? Eu respondo: Nada!!!

O futebol brasileiro pode ser, sim, tão organizado e rico quanto o europeu – que, se for analisado país por país, também tem muitos problemas. Mas para que haja esse desenvolvimento e essa independência do nosso futebol, um dos requisitos básicos é que os chamados “cronistas esportivos” deixem de babar ovo pelo futebol praticado na Europa e valorizem mais nossos times e nossos craques.

Criticar um jogador por que não está assistindo a um jogo de dois grandes da Europa, para, como qualquer jovem normal, ver um programa próprio para sua idade, é muito complexo de colonizado pro meu gosto. Cuide de sua vida, brother! Analise a técnica e a tática e deixe os aspectos pessoais para os jogadores resolverem. Ou esqueça o esporte e se especialize em fofocas.

Se é só uma questão de dinheiro – e no fundo é só isso mesmo –, acho que hoje não só os clubes, mas o mercado do futebol brasileiro, com seus vários patrocinadores potenciais, podem segurar no país um jogador importante e inspirador como Neymar.

Já que gastarão tanto dinheiro para fazer a Copa, por que não reservar um pouquinho disso para manter Neymar até 2014 no Brasil? Estou certo de que, após o Mundial, esses milhões de euros se multiplicarão, e Neymar, seu empresário e o Santos, se quiserem, poderão arrecadar até três vezes mais do que oferecem hoje pelo Menino de Ouro da Vila.

E você, acha que, obrigatoriamente, Neymar deverá ir para a Europa, ou será possível mante-lo no Brasil, ao menos até a Copa do Mundo de 2014?