A derrota para o Colo Colo mostrou todo o desequilíbrio deste Santos. Um desequilíbrio que o torcedor detectou desde o ano passado. Não se trata só da defesa, mas é o sistema defensivo do time que não funciona. É só sofrer uma pressão e geralmente vaza mais de um gol.

Ontem, vencia por 1 a 0 e nos contra-ataques teve possibilidade de marcar mais. Porém, foi só sofrer o primeiro gol e lá vieram, rapidinho, o segundo e o terceiro, praticamente definindo a partida.

Não dá para culpar só os jogadores. Que culpa muitos têm de serem titulares do Santos? Porém, se num mesmo time você vê Adriano, Pará, Danilo e Possebon, coisa boa não deve dar.

Nem vou falar da dupla de zagueiros, pois a chance de trocá-los foi no começo do ano. Bem que o torcedor pediu, mas o técnico Adilson Batista disse que não precisava, pois a defesa era boa. Diante dos rápidos atacantes do Colo Colo, Edu Dracena e Durval pareciam baratas tontas.

Ganso jogou sentindo dores desde o primeiro tempo. Fez o possível e deixou muita gente na cara do gol. Neymar jogou bem menos do que pode, mas ainda fez um gol e algumas jogadas. Elano fez um belo gol de falta, mas está lhe faltando mais mobilidade.

Tirar Zé Eduardo para colocar Maicon Leite é um acinte. O futuro palmeirense não fez uma jogada. Foi completamente nulo. Mas nem dá para falar muito do técnico Marcelo Martelotte. A verdade é que ele não tem opções. Quando Léo saiu, machucado, o que fazer? Colocar Alex Sandro, um lateral que joga mais na ponta esquerda do que na defesa? Bem, talvez fosse menos ruim, mas também não seria a solução.

Uma derrota de goleada para o planejamento

Na verdade, um clube que sonhava tanto com a decantada terceira estrela, nunca poderia ter chegado a uma partida decisiva como a de ontem em uma situação tão precária: com um técnico interino, com um de seus melhores jogadores voltando de contusão, sem lateral-direito e sem mais dois jogadores de meio-campo (Charles e Arouca).

Cléber Machado disse que o presidente Luis Álvaro sabe que o torcedor quer que o time seja treinado por um técnico mais experiente, porém os jogadores preferem que continue o Martelotte. Ora, é claro que querem. Em que outro time grande do Brasil alguns deles, como Adriano, Danilo, Pará e Possebon, seriam titulares? E em que outro time uma defesa que falha tanto e toma tantos gols teria dois zagueiros intocáveis, como Edu Dracena e Durval? E que outro clube ainda estaria pagando salários para Maicon leite e Keirrison?

O Santos tem três ou quatro jogadores excelentes, dois ou três regulares e outros que não servem nem para reservas. Este é um dos motivos do grande desequilíbrio do time, cujo elenco foi muito mal planejado para um ano tão importante.

Se ganhar os três jogos que faltam, o Alvinegro Praiano ainda se classificará para a próxima fase da Libertadores. Mas estes jogadores terão dificuldade até para vencer os jogos em casa, contra Táchira e Colo Colo, quanto mais derrotar o Cerro em Assunção.

E você, o que achou do jogo? O Santos ainda tem chances de classificação?