Neymar x Iturbe, o gande duelo da noite (mas só pra quem tem bom gosto)

O duelo entre os jovens craques Neymar e Iturbe, o argentino que é ídolo do Cerro Porteño, é o maior, mas não o único das atrações do jogão de hoje, às 21h50m, na Vila Belmiro, pela Copa Libertadores.

Nas arquibancadas haverá outras disputas de peso. O Rei Pelé deve ser um dos torcedores a empurrar o Santos, enquanto pelo Cerro espera-se a presença voluptuosa de Larissa Riquelme, a estrela que o Paraguai revelou na Copa.

Como sempre, o Santos dependerá apenas de seu futebol para espantar a crise que paira sobre a Vila. Sem técnico, sem uma posição firme e corajosa na questão das cotas de tevê, sem resultados satisfatórios em campo e sem uma boa situação na Libertadores, o time pode mudar tudo isso com um triunfo esta noite, mesmo daqueles mais apertados e sofridos.

A nota oficial de que o Santos também abandonará o Clube dos 13 é uma demonstração de subserviência que o santista abomina. Vamos só ver como o clube será tratado nas negociações individuais. Se continuar da mesma forma, ou pior, este terá sido o pior erro desta diretoria. Se o clube sair valorizado deste episódio, o que parece difícil, aí aplaudiremos.

Por falar em sair, saiu Adilson Batista, voltou o interino Marcelo Martelotte e o inexplicável Danilo, o jogador que marca e passa mal, continua no meio-campo. Isso é preocupante. O técnico anuncia a equipe com três atacantes, mas um deles será Diogo, que não faz gols, ao invés do incisivo Maikon Leite. Enfim, não dá pra dizer, pela formação tática, que o Santos será muito mais ofensivo do que tem sido.

Outro detalhe inquietante é que, pela escalação, não percebo ninguém capaz de fazer uma marcação mais cuidadosa sobre o jovem Juan Manuel Iturbe, destaque da Argentina no Sul-americano Sub-20. Acho que Adriano, pela capacidade de se doar em prol do time, poderia fazer isso. Não imagino Danilo, que toma dribles fáceis, marcando um jogador tão rápido e habilidoso.

Marcar por zona é mais cômodo, mas dificilmente funciona diante de um adversário com um jogador desequilibrante. Se o Cerro jogar recuado e sem confiança, o tipo de marcação do Santos não deverá influir muito, mas se os paraguaios, que são franco-atiradores, vierem para cima a fim de mais três pontos, temo que o Santos sofrerá esta noite.

É claro que neste jogo mais valerá o espírito do que a tática. O Santos tem de vencer de qualquer jeito, ou sua situação ficará difícil no grupo. Ontem, provando que o Táchira é o time mais fraco dos quatro, o Colo Colo, mesmo no campo do adversário, goleou a equipe venezuelana por 4 a 2.

Enfim, hoje é o tipo de jogo em que, além de fazer melhor tudo o que já sabe fazer bem, o jogador santista terá de caprichar em fundamentos que não são o seu forte, como o passe, o chute, a marcação. Em outras palavras, ir pra cima do cerro e definir aparada o mais rápido possível.


Larissa, uma atração fora do campo (mas há quem prefira o Felipão)

Cerro também em crise

Assim como o Santos, o Cerro Porteño não vive uma fase muito tranqüila. A derrota, no clássico local, para o Olímpia, sábado, provocou a demissão do técnico Blas Cristaldo. O clube já contratou o argentino Leonardo Astrada, mas no jogo de hoje a equipe também será dirigida por um interino: Javier Torrente.

Goleada histórica

Nunca é demais lembrar que no dia 28 de fevereiro de 1962 o Santos aplicou, neste mesmo adversário, uma das maiores goleadas da história da Libertadores, massacrando o Cerro Porteño por 9 a 1. O curioso é que três dias antes, em Assunção, o jogo tinha sido equilibrado e terminou empatado em um gol.

Minha previsão

Assim como é preciso atacar, o Santos deve tomar cuidado com o Cerro nos minutos iniciais, pois foi logo no comecinho do jogo que os paraguaios mataram o jogo contra o Colo Colo, em Assunção. Iturbe, repito, faz a diferença e deve ser marcado em cima. Quando tem espaço para dominar a bola e partir com ela em velocidade, é um Deus nos acuda.

Bem, estou confiante, pois chegou a hora de os santistas mostrarem do que são feitos. Uma derrota hoje e a temporada estará indo, prematuramente, para o brejo. Nestas horas, eu sei, jogadores como Léo, Elano e Edu Dracena costumam crescer. Espero que o mesmo ocorra com Neymar e Zé Eduardo, que precisam ser decisivos hoje. De Diogo, sinceramente, não espero nada. O que viver dele será lucro.

O que você espera do jogo de hoje? Gostou da escalação de Martelotte?