Para o santista não dá para comparar a importância de um terceiro título da Copa Libertadores com mais um Paulista. Se o time for tricampeão do continente, os milhões de torcedores do Alvinegro Praiano terão orgasmos múltiplos por semanas seguidas. Se ganhar o Paulista, no máximo haverá um churrasco.

Mas Muricy Ramalho sabe que o Paulista só não tem importância na teoria. Se o Santos perder feio do São Paulo, neste sábado, o que seria sua primeira derrota como técnico santista, críticas sempre surgirão.

Porém, passar pelo São Paulo e, com o time cansado, ser eliminado pelo América, na terça-feira, refrescará muito pouco.

Diante disso, Muricy gostaria de uma definição da diretoria do Santos. Enfim, qual é a prioridade? Esta resposta facilitaria as coisas para ele. Porém, até a entrevista coletiva desta sexta-feira, parece que tudo ainda estava no ar.

O caso do avião desfretado

Em princípio a diretoria do Santos pretendia criar condições para que o técnico usasse a chamada força máxima nos dois jogos. Um avião foi fretado e o time zarparia para o México logo depois da partida contra o São Paulo.

Mas a companhia aérea não conseguiu autorização para decolar e o Santos será obrigado a viajar domingo, em um vôo de carreira, às 12h45m (a tentativa de viajar sábado à noite também não deu certo).

Sem escalar, um vôo de São Paulo à Cidade do México dura 7h40m, que passa a 9h50m com uma escala e 13h50m com duas. Do México, os santistas terão de pegar outro vôo, de 40 minutos, até Querétaro, cidade a 221 quilômetros.

Usar alguns reservas pode ser a solução

Não digo que Muricy deva escalar um time totalmente reserva contra o São Paulo, mas creio que algumas alterações não mudarão substancialmente o rendimento da equipe e darão um importante descanso a alguns titulares.

Acho que se Rafael, Edu Dracena, Elano e Zé Eduardo forem substituídos, o time não perderá muito. E ainda haveria a possibilidade de começar com Neymar e Ganso no banco e só coloca-los no jogo em caso de necessidade.

Outra opção é começar com o time completo e depois, conquistada uma vantagem, substituir os jogadores mais importantes.

De qualquer forma, o medo de perder e acabar eliminado das duas competições deve fazer o Santos jogar com o que tem de melhor.

E você, que Santos escalaria para enfrentar o São Paulo?