O milagre não veio. Até que o Táchira começou bem e marcou aos 3 minutos, com Pérez. Mas Diego Rubio empatou aos 5, marcou novamente aos 22 e o Colo Colo venceu por 2 a 1, deixando o Santos em uma situação delicadíssima no grupo. Agora, para continuar com chances reais de classificação, o Santos – mesmo desfalcado de Neymar, Elano e Zé Eduardo – terá de vencer o Cerro Porteño, em Assunção, na próxima quinta-feira.

Mas o empate ainda não o manterá vivo?, perguntarão alguns.

Sim, mas se empatar, Colo Colo e Cerro ficarão com nove pontos e poderão fazer um jogo de compadres na última rodada, já que o empate classificará ambos (pois o Santos, mesmo que depois vença o Táchira, só poderá alcançar nove pontos).

Muitos torcedores estão se perguntando como o Santos permitiu que a situação chegasse a este nível, já que era o favorito não só para se classificar, mas para terminar em primeiro lugar no grupo.

Na verdade, o Alvinegro Praiano teve três resultados inesperados: o empate contra o Táchira, o empate na Vila Belmiro com o Cerro Porteño e a derrota para o Colo Colo no Chile.

Nos três jogos o Santos poderia ter conseguido algo melhor, ou seja, obtido a vitória sobre o Táchira e o Cerro, e ao menos o empate contra o Colo Colo.

Se tivesse de mudar apenas um desses três resultados, qual seria?

Bem, vencer o Táchira não mudaria muito a sua situação, pois hoje o time teria sete pontos e, se perdesse para o Cerro, também dependeria de vencer o Táchira e torcer para o Colo Colo não derrotar o Cerro Porteño na última rodada.

E se o Santos ao menos tivesse empatado com o Colo Colo no Chile?

Também não haveria uma mudança muito significativa nas suas chances, já que uma derrota para o Cerro asseguraria ao time paraguaio o primeiro lugar do grupo, mesmo que perdesse o último jogo para o Colo Colo – resultado que classificaria o time chileno.

E se, ao invés de ter sofrido aquele gol no último minuto contra o Cerro Porteño, na Vila Belmiro, o Santos tivesse conseguido segurar a vitória?

Bem, aí a história seria outra. O Santos hoje teria sete pontos, mesma pontuação do Cerro e dois pontos a menos do que o Colo Colo. Mesmo que perdesse para o Cerro na quinta-feira, iria para a última rodada dependendo apenas de dar uma goleada no Táchira para se classificar. Por que? Explico:

Com uma vitória sobre o Táchira, o Santos iria para 10 pontos, certo? Enquanto isso, na outra partida, o Colo Colo, com nove pontos, enfrentaria o Cerro, com 10. Qualquer que fosse o resultado dessa partida, o Santos se classificaria com uma goleada sobre o Táchira.

Bem, se empatasse com o Cerro, a situação seria melhor, é claro, pois dependeria apenas de uma vitória sobre o Táchira. Isto, porém, se tivesse vencido o Cerro na Vila. Como não venceu, a realidade é a seguinte:

Perdendo na quinta, o Santos estará eliminado, pois só poderá chegar, no máximo, aos oito pontos ganhos, menos do que os 11 do Cerro e os nove do Colo Colo.

O empate, como eu já disse, faria com que Cerro e Colo Colo tenham a possibilidade de empatar para garantir, mutuamente, as vagas, pois chegariam a 10 pontos e o Santos só poderia alcançar nove.

A vitória, então, tornou-se o único resultado que pode ser definido como positivo para o Santos em Assunção. Com ela o time ficará em situação privilegiada, pois só dependerá de uma vitória simples sobre o já eliminado Táchira para garantir a vaga.

Isso porque, se vencer o Cerro, o Santos irá para a última rodada com oito pontos ganhos, mesmo número do time paraguaio e um a menos do que o Colo Colo. Porém, chegará a 11 pontos com a vitória sobre o Táchira, o que será impossível que Cerro e Colo Colo alcancem ao mesmo tempo.

Vencer o Cerro, na verdade, transformará a situação do Santos da água para o vinho. De um time quase desclassificado, o Alvinegro terá boas chances até de terminar o grupo na primeira posição (basta que o Colo Colo não vença o Cerro). Enfim, sobraram contas e mais contas. E esperança.

Com que espírito você acha que o Santos de Muricy entrará em campo na quinta-feira?