O tecnico Muricy Ramalho provou ontem que o Santos pode, sim, ser um time que faz muitos gols, sem se descuidar da defesa. O segredo é não atacar desordenadamente, é não deixar as costas desguarnecidas e dar oportunidades de contra-ataques aos adversários.

A vitória foi só por 2 a 1, mas poderia ter sido por quatro ou cinco, pois as chances mais claras de gol foram do Santos. A rigor, o time paraguaio só teve uma, e a concretizou devido, mais uma vez, à falha de marcação da defesa santista em uma bola pelo alto.

Tão bom quanto vencer no dia de seu aniversário, quando muitos já preparavam os rojões para comemorar a derrota santista, e manter vivo o sonho da terceira estrela, foi vencer sem sustos. Sim, depois de muito tempo o Santos alcanliu a vitória sem correr maiores riscos.

Mesmo nos tempos de Dorival Junior o setor defensivo do Santos não inspirava confiança. Não é à toa que os títulos do Paulista e da Copa do Brasil foram obtidos com derrotas nos jogos finais. O Santos era uma equipe que avançava sem cuidados defensivos. Agora, não.

A marcação, a diminuição de espaços do adversário, será feita já no ataque, retardando o avanço do adversário. E não se atacará mais em bolo, desordenadamente, como nos tempos dos técnicos anteriores.

E a vitória teve um sabor melhor ainda por ter sido obtida com tantos desfalques importantes, pois provou que a aplicação tática pode fazer deste Santos um grande time, mesmo sem craques como Neymar e Elano. Enfim, mais um triunfo daqueles para entrar na rica história santista.

Ingressos para o Pacaembu

A próxima quarta-feira é a oportunidade de a torcida santista provar que está realmente muito a fim desse título da Libertadores. Será o momento de lotar o Pacaembu para empurrar o time contra o Deportivo Táchira. Mais um momento, enfim, de vivermos, juntos, uma noite de festa. Espero que os preços dos ingressos sejam razoáveis e permitam uma lotação completa do estádio. Atenção: o jogo começará às 19h30m. Procure chegar mais cedo para evitar o trânsito.

Cuidados com a arbitragem argentina

Gostei de ouvir Muricy falar que convenceu o time a não se preocupar com a arbitragem. Isso é fundamental, principalmente para santistas, que normalmente são prejudicados por elas. Ontem mesmo o árbitro teve critérios diferentes para jogadores das duas equipes. Marcou faltas inexistentes a favor do Cerro e ignorou algumas pró-Santos.

Se analisarmos bem, veremos que o Santos tem tido dificuldades em quase todos os seus jogos nessa Libertadores. Será que é o preço de pertencer ao único país de língua portuguesa? Será que é porque ter tido a má sorte de ter seus jogos sempre arbitrados por trios argentinos?

Não se pode saber ao certo. O que se sabe é que contra o Táchira o trio será novamente argentino: Néstor Pitano será auxiliado por Ricardo Casas e Diego Bonfa. O quarto árbitro será o brasileiro Evandro Román.

Depois da arbitragem na Vila Belmiro, contra o Colo Colo, que conseguiu transformar uma goleada iminente em uma vitória dramática e tirou três titulares do Santos do jogo contra o Cerro, todo cuidado é pouco. Até porque só a vitória garantirá o Alvinegro Praiano nas oitavas de final.

A pressão sobre o Ganso

Como jornalista, cidadão e santista, confesso que fiquei enojado com a pressão exercida sobre o Ganso por alguns jornalistas brasileiros que foram ao Paraguai. Tive a impressão de que não foram trabalhar no jogo e sim querer tirar do jogador a promessa de que iria para o Corinthians tão logo o Santos fosse derrotado pelo Cerro Porteño.

Uma cena foi realmente patética: após um treino em Assunção, Ganso foi cercado e teve de responder a uma sabatina sobre a possibilidade de se transferir para o Corinthians. Respondeu, mais de uma vez, que tem contrato com o Santos até 2015 e que naquele momento estava concentrado na Libertadores e no jogo que teria logo mais com o Cerro Porteño.

Todos sabem que um atleta de ponta se concentra na competição com dias de antecedência. Este, aliás, é um dos trabalhos do técnico e de sua comissão: manter o atleta focado no jogo. Pois ali, anarquica e desrespeitosamente, alguns jornalistas faziam Ganso falar de um assunto sobre o qual não queria falar e que só o prejudicava e prejudicava o Santos.

Duvido que fariam o mesmo se fosse o contrário, ou seja, que cercariam um jogador corintiano às vésperas de um jogo decisivo para perguntar-lhe se, caso perdesse a partida e seu time fosse eliminado, se transferiria para o Santos. Sabem muito bem que tipo de reação teriam da comissão técnica e dos torcedores corintianos. E não fariam isso também por acreditaram que brigar com a torcida do Corinthians é perder quase 50% de seus leitores. Por isso essa coisa de populismo não é comigo.

Só que subestimam a força do Santos e de sua torcida. Deveriam já ter entendido que, nesses novos tempos em que a Internet atrai mais leitores do que os veículos tradicionais de comunicação, não dá mais para manipular as informações. E já deveriam ter percebido que a comunidade santista é das mais interativas, das que se mobilizam com mais rapidez e eficiência.

Não dá mais para tratar o Santos e seus torcedores de uma maneira diferente da qual tratam os outros grandes da Capital. Os jornalistas mais experientes já perceberam isso. Mas parece que alguns, provavelmene mais jovens, inexperientes ou arrogantes, só se dão conta da nova realidade quando exageram na dose e começam a despertar reações mais acaloradas dos santistas.

Para o tablóide, Santos ganhou apenas uma “sobrevida”

Outro dia um pessoal que trabalha no tablóide Lance reclamou, pelo twitter, que estava recebendo ameaçadas de santistas por causa da série de matérias que fazem afirmando que Paulo Henrique Ganso irá para o Corinthians: davam uma de coitadinhos e diziam-se perseguidos. Hoje, um dia após uma vitória redentora, obtida no dia do aniversário do clube, dia em que milhões de santistas estão felizes com seu time e com a maestria de Ganso – que repetiu pela enésima vez, publicamente, que pretende cumprir seu contrato com o Santos – estas pessoas do tabloide soltam uma matéria dizendo, logo nos títulos, que o Corinthians apenas “adiou o projeto Ganso”, pois o Santos ganhou uma “sobrevida” na Libertadores.

Essa postura deixa evidente que essas pessoas queriam que o Santos fosse eliminado da Libertadores, para que Ganso finalmente confirmasse o que noticiam. Mostra também que para este tabloide a vitória de ontem não quer dizer que o Santos lutará pelo título tão sonhado por seus milhões de torcedores, mas apenas ganhou uma “sobrevida” na competição, da qual será eliminado em breve. Ora, e depois não querem que o torcedor santista fique irritado com quem faz um jornalzinho tão parcial e sensacionalista.

O que a vitória de ontem representou para o Santos na Libertadores? Com Muricy Ramalho, o sonho da terceira estrela ficou mais real?