Este é o Santos em 1913, que disputou o Campeonato Santista com o nome de União. Repare em dois dos três jogadores do lado direito. Desde o começo, um time sem preconceito.

Recentemente Neymar foi vítima de um ato racista em Londres. Infelizmente, não foi novidade. Há pouco tempo Roberto Carlos e Marcelo também sofreram este preconceito em estádios europeus.

Mesmo no Brasil, o preconceito no futebol ainda existe. Alguns times tradicionais só passaram a aceitar jogadores negros na década de 1950. O Santos é uma honrosa exceção.

Esta foto, considerada a mais antiga do time do Santos, feita em 1913, mostra que naquela época o Alvinegro Praiano já tinha jogadores negros. Eu e os pesquisadores Guilherme Nascimento e Guilherme Guarche estamos tentando descobrir os nomes desses atletas, que logo serão divulgados.

De qualquer forma, a foto é histórica e de um valor imenso. Ela mostra que muito antes de seus rivais o Santos já tinha negros em suas fileiras. Não foi apenas sorte, portanto, que o Rei do Futebol tenha surgido na manjedoura da Vila Belmiro.

Isso só confirma que nenhum outro clube do mundo merecia o mérito de ter Pelé, um negro acima de todas as cores, de todas as raças, de todos os povos.