Amigos, é melhor uma final na mão do que duas voando. Tudo bem que diante da necessidade de se jogar novamente na terça-feira, no México, após longa viagem, seja natural se pensar em poupar santistas do jogo de hoje, contra o São Paulo. Mas qual é a garantia de que, poupando esses jogadores, o Santos obterá a classificação diante do América mexicano?

Se um jogador estiver à beira de uma contusão muscular, ela tanto poderá ocorrer hoje, como no próximo treino, ou nos minutos iniciais da partida contra o América. Quem sabe, até subindo as escadas do avião.

Por outro lado, há jogadores – leves, resistentes, precavidos – que podem atuar várias partidas seguidas sem nenhuma contusão. O grande Santos dos anos 60 tinha vários exemplos assim. Era um time que, quando excursionava, chegava a jogar de dois em dois dias, em países diferentes, por dois meses seguidos. E voltava com a mala repleta de troféus.

O futebol era mais lento, reconheço, os jogadores corriam uma distância menor por partida, admito também, mas hoje o condicionamento físico e a alimentação são melhores. Com um pouco de esforço e muito de motivação e fé, dá para enfrentar o São Paulo hoje, no Morumbi, e o América terça à noite, em Querétaro, sem perder o pique.

Na boa, só Elano deve descansar

Goleiro não cansa. Portanto, o Santos vai com o titular, Rafael, nos dois jogos. Na lateral-direita, Jonathan está tão bem tecnicamente, e Pará é tão inseguro, que não vale a pena fazer a mudança. No miolo da zaga, seria possível arriscar com Bruno Aguiar e Vinícius, mas foram tão pouco utilizados, que lança-los justo em um clássico decisivo seria no mínimo estranho.

Na lateral-esquerda, Léo tem sido um leão. Porém, como é um dos mais veteranos, bem que poderia descansar e ceder o lugar a Alex Sandro. O problema é que o rapaz não se firma. Primeiro, tem de aprender a marcar bem, para depois apoiar. No momento, não tem feito nem uma coisa nem outra satisfatoriamente.

No meio, dá para colocar o Adriano e folgar o Danilo, mas este tem sido uma arma de Muricy. Como pode vir de trás, aproveitando o espaço dado pelos adversários – que se concentram mais na marcação de Paulo Henrique Ganso e Elano – e não só criar jogadas ofensivas, como também arrematar a gol com boa margem de acerto, hoje Danilo está se tornando tão importante para o time como o coadjuvante Wesley era para a equipe de Dorival Junior.

Ganso precisa jogar para voltar à forma e ao ritmo. Elano é que parece cansado. Talvez porque esteja sem férias, pois interrompeu as suas, na Europa, para vir ao Santos. Talvez possa começar o jogo no banco de reservas, substituído por Adriano ou Alan Patrick (ou, se Muricy optar por um esquema mais ofensivo, o que duvido, por Felipe Anderson).

De qualquer forma, tirar de Elano a possibilidade de voltar ao jogo em que ele foi decisivo logo que chegou ao Santos, não seria recomendável. Todos se lembram que foi o seu gol de cabeça e o chute de longe, espalmado por Rogério Ceni nos pés de Maikon Leite, que decidiram o Sansão jogado na fase de classificação do campeonato.

No ataque, sei que Neymar e Zé Eduardo estão loucos para jogar e não têm problemas físicos. Então, não há o que mexer. No máximo daria para colocar Keirrison no lugar do Zé, mas as perspectivas não seriam melhores. Como faz muito tempo que não marca, arrisco-me a dizer que hoje Zé Love fará o seu.

Uma final pode lavar a égua

O Santos precisa de dinheiro. Infelizmente, neste aspecto a situação é tão preocupante como foi deixada pela administração anterior. As dívidas crescem, esta é a verdade. Por isso, a possibilidade de participar de uma final do Paulista não pode ser desprezada.

O amigo Sandro, de Arapongas, lembrou, pelo twitter, que uma final pode dar ao Santos a possibilidade de vender patrocínios especiais, além de faturar com a bilheteria e concorrer ao prêmio de R$ 2 milhões destinados ao vencedor do campeonato. Isso tudo não pode ser desprezado.

Fosse outra a situação, e talvez Muricy ficasse à vontade para poupar quem quisesse, visando a prioritária Libertadores. Porém, com o time tão próximo de uma decisão que poderá trazer cerca de cinco milhões de reais aos cofres combalidos do clube, não creio que dêem ao técnico outra opção a não ser colocar em campo o que o Santos tem de melhor.

Reveja a grande exibição de Elano e a vitória sobre o São Paulo por 2 a 0, na fase de classificação deste Paulista:

http://youtu.be/EVCJnCw-UNc

São meio-dia e meia e até agora o Santos não foi anunciado. Eu acho que Muricy virá com o time completo. E você?