Espera-se para hoje o anúncio da contratação do centroavante soteropolitano Humberlito Borges Teixeira, mais conhecido por Borges, 1,76m, 29 anos, destro, que caiu em desgraça no Grêmio depois de expulso no jogo contra o Universidad Católica, pela Libertadores. Ele virá para ser o parceiro de Neymar no Campeonato Brasileiro.

Para que o negócio se concretize, Marquinhos, que está no Avaí, mas cujo passe ainda pertence ao Santos, teve de aceitar a transferência para o clube gaúcho. Além de Marquinhos, o Grêmio acaba de contratar o centroavante argentino Ezequiel Miralles, que estava no Colo Colo e também era pretendido pelo Santos.

Nascido em Bahia Blanca, em 21 de julho de 1983, com 1,76m e 73 quilos, o cabeludo Miralles, de 27 anos, esteve bem próximo da Vila Belmiro. O Santos tinha prioridade na sua compra e ofereceu U$ 2 milhões por seu passe, U$ 300 mil a menos do que o Grêmio, que fechou o negócio.

Há um lado ruim e um lado bom nessa história. Perder um bom jogador por uma diferença tão pequena parece coisa de amadores. Porém, com a contratação de Miralles, o Grêmio decidiu negociar Borges, já que ambos atuam na mesma posição. E Borges, ao se analisar as carreiras, tem um currículo melhor.

As melhores fases de Miralles foram no futebol chileno. No Everton, que defendeu em 2008 e 2009, marcou 28 gols em 58 jogos. Melhorou a média no Colo Colo, pelo qual fez 32 gols em 53 jogos em 2010 e 2011.

Borges, por sua vez, mantém uma boa média de todos em todos os clubes em que joga. Em 2005 fez 12 dos 18 gols do União São João e 19 dos 36 marcados pelo Paraná. No ano seguinte marcou 26 do Velgalta Sendai, do Japão. No São Paulo, fez 54 gols dos 150 que o time marcou entre 2007 e 2009 e no Grêmio foi o autor de 30 dos 55 gols do time em 2010.

Forte, inteligente, capaz de fazer a parede para o jogador que vem de trás, mas também com ótima capacidade de definição, Borges pode tornar ainda mais perigoso o ataque santista. Porém, como já jogou pelo Grêmio, não poderá ser inscrito pelo Santos nesta Copa Libertadores, o que faz com que – a não ser que dê e louca no Zé Eduardo – a posição continue carente para o restante da competição.

Você acha que a contratação de Borges será uma boa, ou preferia Miralles?