Elano com a namorada Livia Stelmann e gráfico que mostra o músculo adutor, na virilha.

Elano está fora do jogo contra o América do México, em Querétaro, na noite de terça-feira. Ele mesmo avisou pelo twitter – @elano_blumer – que estava “triste por não ter condições de jogar na terça” e explicou que não viajaria com o grupo para ganhar dois dias para o tratamento.

Pela experiência e pela tão esperada bola parada, Elano é importante para o Santos. Porém, pelo que vem jogando e pelas exigências do jogo contra o América, talvez Adriano possa até se sair melhor.

Prestes a completar 30 anos – que fará no dia 14 de junho –, Elano não tem demonstrado a mesma forma física e a mesma precisão técnica dos primeiros jogos que fez pelo Santos nesta sua volta.

Por outro lado, Adriano, que no dia 29 deste mês fará 24 anos, é um jogador incansável, um marcador que se entrega ao trabalho com dedicação total. Com ele no time, ajudando Arouca na marcação, Danilo poderá se soltar um pouco mais e arriscar algumas investidas ao ataque, além de chutes de longe, como aconteceu na vitória heróica sobre o Cerro Porteño, em Assunção.

Há males que vêm para o bem

A má forma de Elano era visível e, mais cedo ou mais tarde, ele teria um problema físico um pouco mais grave, além do cansaço. O tempo de recuperação dessa distensão do músculo adutor depende da quantidade de fibras musculares que foram lesionadas. Pode demorar uma semana, ou duas, sendo que duas é o prazo mais provável.

Já tive esse tipo de distensão e sei que ela é enganosa. A dor some logo, com um ou dois dias, mas é só voltar antes do tempo e as fibras esgarçam de novo. E uma semana era pouco para a recuperação.

Acho que é o momento, também, de Elano colocar a cabeça no lugar e analisar que caminho quer tomar para a sua vida. É visível que seu rendimento piorou desde que começou o seu namoro com a atriz da TV Globo Nívea Stelmann, de 37 anos.

Não que namorar seja ruim, ao contrário, mas namorar publicamente enquanto ainda se mantém em uma relação com filhos, não deixa de ser constrangedor. Se é amor, beleza. Que siga sua vida. Mas se é só um caso, o que parece ser, esta exposição não é boa para ninguém.

Pior do que a exposição pública, é a cabeça e o corpo do jogador. Cabeça que fica dividida, já que Elano tem raízes religiosas e deve estar se sentindo terrivelmente culpado com a situação. E o corpo, porque essas idas e vindas ao Rio de Janeiro, essas noites mal dormidas, têm atrapalhado o seu treinamento e influindo no seu rendimento físico.

Ficar fora desse jogo decisivo do Santos pode ser positivo para que Elano coloque a cabeça no lugar, analise o que é realmente prioritário em sua vida, e a partir daí siga um caminho que lhe faça feliz e também faça feliz as pessoas que ama.

Não sou puritano e sei que amores e casamentos acabam, assim como paixões podem gerar relações sinceras e duradouras. Como santista e admirador de Elano, de quem tenho a melhor imagem como pessoa e atleta, quero vê-lo feliz e despreocupado, como chegou ao Santos.

Que decida logo a sua vida e se dedique – de corpo e alma – ao time que o acolheu com respeito e carinho. Paixões passam, Elano, mas o Santos é um amor eterno!

Você acha que o Santos sentirá muita falta de Elano contra o América do México, ou o valente Adriano dará conta do recado?