O repórter Felipe Camargo, do site ESPN.com, informa que Muricy Ramalho optou por escalar Alan Patrick no lugar de Paulo Henrique Ganso – alerta que me foi dado por William, leitor deste blog. Fico feliz e espero que a notícia se confirme. A informação que eu tinha veio do jornal La Patria, de Manizales, que cobriu a chegada do Santos na cidade, ouviu jogadores e, pelo que entendi, também o técnico Muricy Ramalho.

Diz a matéria do La Patria de ontem: Sin Ganso y por tratarse de una difícil visita, Ramalho planea jugar con Elano como único centrocampista de creación junto a tres volantes, y con Neymar y Zé Eduardo como delanteros. De esa forma la posible alineación es la siguiente: Rafael; Jonathan, Edu Dracena, Durval y Leo (o Alex Sandro); Adriano, Danilo, Elano y Rodrigo Possebon (o Pará); Neymar y Zé Eduardo.

Acreditei. Não sei se Muricy tentou despistar o repórter, ou se o técnico santista nem foi ouvido e o periodista colombiano fez suas próprias conjecturas.

Mais opções na passagem para o ataque

Com Alan Patrick, ou mesmo Felipe Anderson, o Santos terá mais opções na passagem para o ataque. Isso será fundamental, pois pelo que li dos jogadores e torcedores do Once Caldas, a idéia do time colombiano é abafar o Santos em seu campo e imprimir um ritmo forte ao jogo, tentando desgastar os brasileiros.

Sabem do cansaço dos santistas e apostam que a altitude de Manizales – 2.150 metros – também contribuirá para que o adversário não consiga acompanhar a velocidade dos jogadores locais.

Como é preciso muito fôlego para marcar por pressão, provavelmente o Santos esperará o Once Caldas próximo ao meio-campo e a partir dali tentará roubar a bola e acertar os contra-ataques.

Sem um outro jogador com alguma criatividade no meio, ficaria quase impossível para Elano exercer esta função sozinho, até porque deverá ser bem marcado pelo adversário.

Alan Patrick, que costuma tabelar com Neymar quando cai pela esquerda, deverá juntar-se a Léo nas jogadas ofensivas por aquele setor, repetindo o que fez no segundo tempo contra o Corinthians.

Com a bola nos pés, não há comparação entre Ganso e Alan Patrick, mas, sem ela, o reserva é mais participativo do que o titular, pois ajuda na marcação do meio-campo – o que diminui as possibilidades de penetração do adversário, ao mesmo tempo em que aumenta as chances de um contra-ataque.

No treino de ontem à noite, Muricy optou por um leve bate-bola, mais para soltar e relaxar os músculos. Só os goleiros fizeram um treino um pouco mais puxado. Todo fôlego deve ser poupado para hoje à noite.

O sonho e a realidade do Once Caldas

A vitória por 2 a 0 e a classificação sobre o Cruzeiro, em Minas Gerais, foi considerada “histórica” pelos torcedores do Once Caldas, que já falam na repetição do sonho de 2004, quando foram campeões ao bater o mesmo Santos nas quartas, o São Paulo na semifinal e o Boca Juniors na final.

Porém, ao mesmo tempo em que sonha com títulos, o Once Caldas – que lidera o campeonato colombiano, à frente do decantado Tolima – vive uma dura realidade financeira. Os salários estão atrasados e o clube tentava conseguir algum dinheiro para motivar os jogadores.

A maioria dos torcedores do Once Caldas acredita que seu time possa vencer o Santos até por goleada, mas há muitos que temem que esta história de cansaço seja só uma jogada dos brasileiros para desconcentrar o time colombiano. Também não escondem o receio de que o Santos faça gols hoje, pois sabem que será muito difícil realizar outra façanha como a obtida contra o Cruzeiro.

E você, ficou mais aliviado ao saber que Alan Patrick – e não Rodrigo Possebon – deverá iniciar a partida contra o Once Caldas?