Só no segundo tempo, depois de praticar um futebol amarrado e terminar a primeira etapa perdendo pro 1 a 0, é que o Santos viu que o bicho não era tão feio e foi melhor (ou menos ruim) do que o Botafogo, chegou a criar chances de gol – que Bruno Rodrigo e Maikon Leite desperdiçaram – e no final deram a Muricy Ramalho sua primeira derrota como técnico do Alvinegro Praiano.

É difícil fazer uma análise individual. De Pará, Charles e Rodrigo Possebon nunca espero nada e eles não me surpreenderam. Gostei de Vinícius Simon, da visão de jogo de Roger e da movimentação de Richely.

Alex Sandro, como sempre, teve altos e baixos, mas hoje melhorou no segundo tempo e foi o atacante mais perigoso do Santos. Maikon Leite entrou com sono, estado em que Keirrison passou o tempo todo.

Alan Patrick se enroscou com a bola e acabou substituído. Tiago Alves estava melhor e também foi substituído. Bruno Rodrigo foi mais ou menos e perdeu um gol feito. Bruno Aguiar foi discreto. Até demais.

Colocar Pará como capitão deve ter sido uma tentativa de Muricy de despertar o espírito de liderança e responsabilidade do lateral, mas não deu certo. Pará foi o mesmo jogador errático e inseguro de sempre.

Tudo bem que era um time reserva e estava desentrosado. Mas mesmo assim poderia ter realizado um pouco mais. Perdeu de um dos piores times do campeonato. Dos que jogaram hoje, ninguém merece reivindicar a titularidade. Mas fiquei com boa impressão de Roger. Acho que vai virar.

E você, o que achou de Botafogo 1, Santos 0? E dos jogadores?