Neymar ontem, no CT Rei Pelé, treinando colocar as bolas pra dentro (Foto: Comunicação Santos FC)

Como já dizia Vanderlei Luxemburgo, a melhor maneira de respeitar um time é jogar o tempo todo para fazer gols, mesmo que a vitória já esteja definida. Não gosto de olé, de firulas ou jogadas inúteis, apenas para depreciar o adversário. Gosto, como a maioria dos santistas, de objetividade. Digo isso porque hoje, no Pacaembu, no primeiro jogo da semifinal da Copa Libertadores contra o Cerro Porteño, o Santos tem tudo para voltar a ser um time de muitos gols.

É claro que 1 a 0, mesmo resultado contra o América do México, na Vila Belmiro, já estará bom. Segurar um empate em Assunção é plenamente possível. Porém, sinto que hoje o Alvinegro Praiano, descansado e praticamente completo, poderá voltar a jogar o seu melhor futebol.

O time deverá ser o mesmo que terminou a partida contra o Once Caldas, com Pará no lugar de Jonathan. Desde que não apóie desordenadamente e deixe um vazio às suas costas, Pará não deve comprometer, apesar de a ausência de Jonathan representar uma perda importante.

No meio, setor que definirá o domínio da partida, o Santos terá Adriano, Arouca, Danilo e Elano. Como os paraguaios deverão se preocupar mais com Elano e Danilo – que marcou um belíssimo gol em Assunção –, creio que Arouca terá algumas boas oportunidades para avançar.

No ataque, todos esperamos que Zé Eduardo faça gols e que, se não os fizer, que Neymar os faça. Li em algum lugar que Neymar está prometendo um drible novo hoje. Ótimo, mas prefiro gols. Dribles só são úteis quando criam oportunidades ofensivas. Espero que esta seja a finalidade do Menino de Ouro.

Com a ajuda constante dos volantes, a dupla de zaga santista tem se saído melhor (hoje terá trabalho com o alto e catimbeiro Roberto Nanni, o argentino que fez o gol de pênalti na Vila Belmiro e fez sinal para a torcida se calar).

Cuidados que o Cerro merece

Além do centroavante Nanni, outros dois argentinos do Cerro também merecem cuidados: um é Jonathan Fabbro, 29 anos, que passou quase incógnito pelo Atlético Mineiro em 2006, mas agora tem sido importante para o time paraguaio: fez dois gols na vitória heróica contra o Colo Colo, em Santiago do Chile, e marcou no empate com o Jaguares.

Por fim, há o jovem Juan Manuel Iturbe, 17 anos, outro que é chamado de “novo Messi”, que já está contratado pelo Porto e que não vem sendo muito utilizado pelo técnico Leonardo Strada.

Assim como o Santos, o Cerro só perdeu um jogo nesta Libertadores. Foi derrotado em casa, pelo Santos, por 2 a 1. A única derrota do Alvinegro Praiano ocorreu em Santiago do Chile, contra o Colo Colo, por 3 a 2. Os dois jogos na fase de grupos.

Campanhas bem parecidas

Santos e Cerro Porteño têm campanhas similares nesta Copa Libertadores. Ambos ganharam 11 pontos na fase de grupos, com três vitórias (a vantagem do time paraguaio se deu apenas no saldo de gols).

Nas oitavas, o Santos passou pelo América do México com uma vitória por 1 a 0 e um empate em 0 a 0, enquanto o Cerro superou o Estudiantes nos pênaltis, depois de dois empates sem gols.

Nas quartas, o Santos superou o Once Caldas com uma vitória por 1 a 0 e um empate em 1 a 1, mesmos resultados do Cerro contra o Jaguares. A única diferença é que o Santos venceu na Colômbia, portando fora de casa, e o Cerro ganhou em Assunção.

Nos 10 jogos que já realizaram na competição, as duas equipes sofreram um total de nove gols. O Cerro marcou 15, o Santos 14. O Colo Colo sofreu oito gols do time paraguaio e cinco do Santos.

Minha previsão

Assim como o Santos se sentirá pressionado para conseguir um bom resultado hoje, o Cerro Porteño também jogará ansioso para obter alguma vantagem, pois não tem se saído bem quando joga em seu campo. Dos cinco jogos que realizou em Assunção, ganhou dois, empatou dois e perdeu um.

Uma boa vitória do Santos esta noite e a classificação estará quase garantida, pois, a não ser em seu primeiro jogo, quando goleou o Colo Colo por 5 a 2, o Cerro ganhou apenas uma vez em casa, contra o Jaguares, por um mísero 1 a 0. É improvável que consiga derrotar o Santos por uma vantagem maior.

Mesmo com os devidos cuidados, hoje é jogo para o Santos ir pra cima e terminar o primeiro tempo com um ou dois gols de diferença. O Cerro tem falhas em sua defesa e, quando apertado, costuma sofrer gols.

Mas, por outro lado, o time paraguaio não desiste. Não adiante colocar uma vantagem de dois gols e achar que a semifinal já está decidida (o Colo Colo que o diga). Por isso, enquanto a bola estiver rolando e houver oportunidades, o Santos tem de tentar ampliar a vantagem.

Tenho dúvidas se o Cerro fará um gol. Talvez consiga, unzinho. Mas o Santos, acredito, terá volume de jogo e chances para marcar no mínimo três. Sim, 3 a 0 ou 3 a 1 – estes são meus palpites para hoje.

Quem fará os gols? Bem, aí já seria prever demais. Porém, sem esquecer os chutes de Elano e Danilo e avolta de Zé Eduardo às redes, creio que o apoio de Léo pela esquerda, articulando jogadas com Neymar e quem se descolar por ali, poderá ser a chave para esta vitória importantíssima rumo à terceira estrela.

E para você, o que acontecerá hoje entre Santos e Cerro, no Pacaembu?