Pelé x Garrincha, na grande decisão da Taça Brasil de 1962, no Maracanã (Imagem: Blog do Odir).

Eu sei que logo mais, às 18h30m, o técnico Muricy Ramalho escalará um time de reservas para enfrentar o Botafogo, no Engenhão. Sei também que o alvinegro carioca terá a estreia do atacante Elkeson. Mesmo assim, acho que o Santos dará trabalho e poderá até vencer.

Reserva, reserva mesmo, que não tem condição de jogar, a não ser que o titular esteja machucado, este Santos de hoje só tem dois jogadores: os volantes Charles e Rodrigo Possebon.

Aranha é um goleiro experiente, que não deve comprometer. A linha de três zagueiros é boa: Bruno Aguiar, Bruno Rodrigo e Vinícius Simon. Alex Sandor chegou a ser titular da lateral-esquerda.

Pará, Alan Patrick, Maikon Leite e Keirrison já jogaram várias vezes este ano. Acho que o time cairá um pouco se Keirrison for substituído pelo garoto Tiago Alves, e não sei o que achar caso Pará dê o lugar ao estreante Roger.

Uma coisa é certa: este Santos é um franco-atirador e não tem muito o que temer deste limitado Botafogo do técnico Caio Júnior. Loco Abreu e Herrera, os atacantes mais perigosos do adversário, não jogam hoje.

A arbitragem é uma incógnita. O imprevisível Heber Roberto Lopes (Fifa-PR) será auxiliado por Roberto Braatz (Fifa-PR) e Alessandro Rocha de Matos (Fifa-BA). Espero que hoje não este nos seus dias “caseiro”.

Os times mais prováveis são: BOTAFOGO – Jefferson; Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos, Lucas Zen, Everton e Maicosuel; Elkeson e Alex.

SANTOS – Aranha; Bruno Aguiar, Bruno Rodrigo, Vinícius e Alex Sandro; Charles, Possebon, Roger (Pará) e Alan Patrick; Maikon Leite (Tiago Alves) e Keirrison.

Já foi o maior jogo do mundo

O clássico alvinegro de hoje já foi considerado o maior duelo do futebol mundial. Na decisão da Taça Brasil de 1962, no Maracanã, os dois times reuniram oito titulares e três reservas da Seleção Brasileira bicampeã da Copa do Chile, com destaque para Pelé e Garrincha.

O jogo de hoje, muito menos importante, será o quinto entre as duas equipes no Estádio João Havelange. Até agora, a vantagem é santista, com duas vitórias, um empate e apenas uma derrota.

Minha análise

O Botafogo vem de uma derrota para o Palmeiras e, em casa, tem a obrigação de vencer os reservas do Santos. Aí que mora o perigo para o time carioca, pois os times de Muricy adoram ser atacados para poder jogar na base dos contra-ataques. E hoje os rápidos Maikon Leite e/ou Tiago Alves estarão em campo.

Eu poderia reclamar a presença de Felipe Anderson, mas entendo o técnico. Como ele quer dois volantes – no caso, Charles e Rodrigo Possebon – e como Alan Patrick já é um meia quase titular, se Muricy colocasse Felipe Anderson, não poderia estrear Roger. Porém, se ao invés de Roger, o técnico preferir Pará, ficarei sem entender a ausência de Felipe.

Não dá para negar que o Botafogo é favorito – pelo maior entrosamento entre seus jogadors e por jogar em casa -, mas uma surpresa não está fora de cogitação. Mesmo sem os titulares, este Santos que se apresentará esta tarde no Engenhão não é muito pior do que muito time titular deste Brasileiro.

E você, que pressentimento tem para este Botafogo e Santos? Será que dá?