O ex-baladeiro Zé Eduardo vai embora. Santos traz o habilidoso Roger para tentar outra regeneração.

Há jogadores que têm grande habilidade, são inteligentes para jogar futebol e certamente seriam muito bem-sucedidos na profissão caso fossem disciplinados, dedicados, enfim, profissionais. Mas são desmiolados, baderneiros e nunca chegam a lugar algum. Hoje o Santos contratar um rapaz que tem fama de ser um deles.

O meia Roger, que fará três meses de testes no Santos, foi desligado do São Caetano – e emprestado ao Oeste de Itápolis – devido à fama de baladeiro. Mas fez um Campeonato Paulista tão bom, com tantas jogadas de efeito, muitas assistências, e quatro gols, que está tendo a chance de sua vida, agora, no Alvinegro Praiano.

Ao anunciá-lo, o presidente Luis Álvaro lembrou o caso de Zé Eduardo, que também cumpriu um período de testes no Santos, depois de uma passagem desastrosa pelo ABC de Natal. Após começar bem a carreira, Zé Eduardo tinha decaído muito, indo também para o caminho das noitadas.

No Santos, porém, Zé Love se regenerou. Em dois anos e meio já ganhou três títulos e, ao ser vendido ao Genoa, da Itália, rendeu ao Santos 2,7 milhões de euros (R$ 6 milhões). Luis Álvaro espera que o mesmo aconteça com Roger.

Vi o vídeo do rapaz, que apresento, abaixo e confesso que fiquei impressionado. O moço sabe jogar bola. Tem bom físico, é leve, ágil, esperto. Se levar a profissão a sério, pode ser muito importante para o Santos. Tudo dependerá só dele.

Se tiver humildade para reconhecer que ainda não é nada no futebol, mas pode ser alguém se respeitar a camisa do Santos, ótimo. Do contrário, será mais um que ficará pelo caminho e terminará a vida frustrado, contando para os filhos e netos histórias de alguém que poderia ter tido fama, dinheiro, admiradores e futuro, mas acabou sem nada.

Bem-vindo, Roger. Juízo, garoto!

E aí, acha que o rapaz dará certo no Santos?