Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Month: junho 2011 (page 1 of 10)

A festa no Pacaembu que a Globo não mostrou

Veja o belo e tocante filme produzido pelo Rachid sobre a festa dos santistas no Pacaembu:

O que você sente ao ver este filme?


Dos sites e blogs vem a informação mais confiável para os santistas

Do Santos chega a notícia de que o site oficial e as mídias sociais do clube estão batendo recordes de audiência e adesão após o título da Copa Libertadores. Desde a vitória sobre o Peñarol até ontem, o site oficial já tinha recebido 700 mil visitas, das quais 153,6 mil logo no dia seguinte à conquista.

A média de permanência no site também é altíssima: 6m30s por visita, bem acima da média de mercado. Isso não me surpreende, na verdade, pois o site do Santos está recheado de atrações e é muito bem tocado pelo editor Rafael Miramoto, a Carol, o Rodrigo, a Priscila, o Vinícius…

O sucesso se estende às mídias sociais. A página oficial do Santos no Facebook ( www.facebook.com/santosfc) saltou de 70 mil para 190 mil fãs. E a página do Orkut (www.orkut.com.br/santosfc), criada recentemente, já tem 40 mil integrantes. Isso sem falar na concorridíssima Santos TV.

Os vídeos do canal do Santos no Youtube (www.youtube.com/santostvoficial) foram assistidos mais de um milhão de vezes desde a conquista da Libertadores. Para isso, o editor Diogo Venturelli e os cinegrafistas Sérgio Pirata e Clayton Galvão gravaram antes, durante e depois do jogo e iniciaram a edição antes mesmo do fim da partida.

Para o coordenador de comunicação do Santos, Arnaldo Hase, comandante desta equipe toda, com essas ferramentas “o clube tem reforçado diariamente seu poder de comunicação com o sócio e o torcedor”.

Comunicação = Capacidade de Mobilização

Considero fundamental esse desenvolvimento do Santos na área da comunicação, por dois motivos principais: primeiro, porque gera uma capacidade de mobilização tremenda. O contato do clube com o sócio e o torcedor é direto, não há ruídos. As ações têm um retorno maior e mais rápido.

E depois, o clube não precisa depender da chamada grande imprensa para dar aos santistas a sua versão dos fatos. Aliás, a grande imprensa, em se tratando de assuntos relacionados ao Santos, não tem sido confiável. Basta ver as inúmeras manchetes que há meses vendem Ganso e Neymar.

Por outro lado, como o site e as mídias sociais ligadas ao clube são, obrigatoriamente, simpáticas à diretoria atual, é importante que existam mais sites e blogs independentes, que abordem o clube sem a preocupação de fazer média com quem está no poder.

A democracia só pode existir na liberdade de opiniões e a na tolerância às críticas. Aliás, é das críticas – bem fundamentadas, claro – que saem as ideias mais revolucionárias e construtivas. Portanto, critiquem…

O futuro da informação futebolística

Percebam que há um fenômeno da comunicação futebolística em franco desenvolvimento: enquanto sites e blogs ligados a clubes tentam ser menos fanáticos e mais respeitosos com os adversários, os veículos que deveriam ser imparciais assumem partidarismos bizarros.

Outro dia um jornal esportivo que circula em São Paulo, ao invés de ressaltar a conquista do Santos, saiu com um título chulo e agressivo contra o rival alvinegro da capital, acirrando o antagonismo. Os clubes já são, naturalmente, adversários, não é preciso usar a vitória de um para destacar a inferioridade do outro.

Nenhum site oficial de clube seria tão apelativo como o jornal em questão e, pelo que percebi, nenhum site ou blog de santistas se preocupou em ironizar os rivais. Pois comemorar o título da Libertadores é muito mais importante do que se preocupar com os outros paulistas que nem sequer participaram da competição.

Do jeito que o jornalismo esportivo caminha neste país, a leitura mais confiável para o torcedor será aquela dos canais exclusivos que falam de seu time do coração. Os santistas já perceberam que sites e blogs dirigidos ao clube informam mais e melhor do que a imprensa tradicional.

E você, onde costuma encontrar informações confiáveis sobre o Santos?


Por que é tão difícil encontrar camisas oficiais do Santos?


Camisas oficiais do Santos, um artigo raro nas lojas de material esportivo.

No fim de semana estive em Sorocaba e, visitando um grande shopping, deparei-me com uma loja de material esportivo que expunha camisas de vários times, menos a do Santos. Entrei e quis saber por que não havia camisas do Alvinegro na vitrine e a resposta do vendedor é que a loja não trabalhava com a Umbro. “É uma pena”, completou ele, “pois se eu tivesse a camisa, já teria vendido dezenas só nestes últimos dias”.

A dificuldade de encontrar as camisas oficiais do Santos e a demora da Umbro em lançar modelos comemorativos tem sido uma queixa recorrente dos torcedores. Isso atrapalha os planos de expansão do clube, pois a venda de camisas é o pãozinho quente do marketing do futebol.

Clubes europeus vendem milhões de camisas de seus ídolos, principalmente dos que estão chegando. Isso é impensável no Brasil. A produção é limitada, assim como os pontos de venda. E os artigos são muito caros, acima do poder aquisitivo do torcedor médio.

Enquanto os fabricantes de material esportivo não chegarem a preços mais populares, estarão estimulando a pirataria. É impossível que não se consiga fazer uma boa camisa por um valor inferior ao que cobram por ela. Assim, o torcedor acaba apelando para a camisa falsificada.

Outra questão, no caso do Santos com a Umbro, é que a porcentagem que fica para o clube é muito pequena – resultado de um acordo que a nova diretoria teve de engolir, pois já foi assinado há alguns anos.

Para dar o salto de qualidade que se quer e passar a ser um clube competitivo também no mercado internacional, o Santos precisa resolver esta questão crucial que é oferecer mais e melhores camisas ao torcedor. O mercado de santistas é imenso e está em crescente evolução, mas parece que a Umbro não está se empenhando o suficiente para atende-lo.

E para você, tem sido fácil encontrar a camisa oficial do Santos? O preço é justo? Como o clube – e a Umbro – devem agir para solucionar o problema?


Chegou a hora do Dia do Fico II. Neymar não deve ir embora agora

Quando Neymar recusou a proposta do Chelsea, há um ano, os jornais ingleses ironizaram, chamando-o de louco. Mas sua multa foi elevada a 45 milhões de euros (101 milhões de reais) e hoje há cinco clubes na fila, o que faz crer que alguns oferecerão ainda mais do que o valor da multa para te-lo. Nem é preciso ser muito inteligente para perceber que a valorização de Neymar se dará em progressão geométrica até o Mundial da Fifa, no final deste ano, e atingirá picos estratosféricos se o Santos bater o Barcelona e se tornar campeão mundial.

E mesmo que o título não venha, a presença constante na Seleção Brasileira e a proximidade da Copa de 2014 tratarão de aumentar mais e mais as ações da Neymar Corporation na bolsa do futebol.

O presidente Luis Alvaro Ribeiro foi profético quando disse, há um ano, que ao recusar a proposta do Chelsea Neymar estava saindo da condição de ídolo para a de mito. É este mesmo o caminho do garoto.

Mas será mito se, apesar de toda a pressão dos dinheiristas, disser não a tudo quanto é clube que quiser levá-lo e continuar no Santos e no Brasil até a Copa. Manter Neymar jogando entre nós não é uma questão de honra só para o Santos, mas para o futebol brasileiro.

Já pensaram se Garrincha e Pelé tivessem ido para a Europa após apenas dois anos e meio como profissionais? Como teriam feito o futebol brasileiro ser tão respeitado? Que lembranças teríamos deles? Com a camisa do real não sei das quantas, ou do inter sei lá o que? Não, não, não…

Além disso, ficar agora o deixará muito mais rico depois

Se ficar, com 23 anos Neymar será dono do seu passe. E aos 23 anos estará no auge de sua forma. Dá para imaginar quando o seu futebol valerá?

Muitas vezes já nos perguntamos quanto Pelé valeria se jogasse hoje. Pois eu digo que se Neymar ficar no Brasil até seus 23 anos, teremos uma boa idéia de quanto pode valer o melhor jogador do mundo em atividade no Brasil. Sim, o País precisa de Neymar…

O Brasil e o futebol sul-americano precisam de Neymar. Olhe para os lados e veja grandes clubes, como o River Plate e Boca Juniors, caindo pelas tabelas. Veja uma Confederação Sul-americana perdida, desorganizada, que sobrevive através de conchavos e lobbies. Falta um ídolo, um messias, uma luz que guie o futebol deste continente em busca da terra de leite e mel que já foi aqui e pode ser reencontrada.

Falta esperança ao futebol brasileiro e sul-americano. Que me desculpem Ganso, Lucas e outros garotos bons de bola que surgem, mas nenhum tem o carisma de Neymar, nenhum tem o dom de enlouquecer as multidões. Pois ninguém é indiferente a Neymar.

Que se usem todos os argumentos, que se ofereçam milhares de virgens, jóias, ouro e mirra para manter o nosso deus menino por aqui, pois do contrário o futebol brasileiro ficará parecendo um imenso cemitério. Sim, não haverá vida no nosso futebol sem Neymar.

Teremos de nos acostumar, claro. Mas será dose. Ficarei sem motivação para escrever sobre um futebol que teve a fortuna de ser abençoado com um novo Rei e o vendeu por alguns dinheiros, como as nossas mães solteiras vendem seus filhos para famílias de países ricos.

É questão de honra manter Neymar. De que vale erguer estádios magníficos e para isso gastar fortunas dos cofres públicos, se o grande artista irá embora e o povo se sentirá humilhado e órfão?

Tudo depende de Neymar. O orgulho do futebol brasileiro está nas mãos de um garoto de 19 anos. O que você diria a ele para convence-lo a ficar no Brasil ao menos até a Copa de 2014?


Bandidos da torcida do Peñarol fazem vaquinha e são soltos

Em Assunção, 39 integrantes da Torcida Jovem erraram e ficaram presos por vários dias. Mesmo com o atenuante de terem o ônibus atacado por pedras lançadas pela torcida do Cerro Porteño, os brasileiros foram detidos por agressão e furto e tiveram de pagar um valor cinco vezes maior do que os prejuízos que causaram. Sem contar que antes já tinham sido achacados por policiais paraguaios.

No Brasil, mais precisamente em Santa Catarina, torcedores do Peñarol que voltavam com o rabinho entre as pernas para seu país e saquearam uma loja de conveniência em um posto de estrada, só tiveram de devolver o que roubaram e foram soltos.

Essa diferença de tratamento só consegue acirrar os ódios e tornar mais problemática a vida fora de campo na próxima Copa Libertadores. É preciso que a Conmebol e as federações nacionais se reúnam para discutir essa delicada questão dos grupos de torcedores que viajam para outros países a fim de acompanhar seus times. O tratamento deve ser igual para infratores de qualquer nacionalidade.

Sem contar que os santistas foram apedrejados e bombardeados em Assunção e em Montevidéu, enquanto os torcedores de Cerro Porteño e Peñarol foram, como deve ser sempre, muito bem protegidos quando vieram acompanhar seu time em São Paulo.

O consolo para os santistas foi uma torcedora que fez questão de posar para uma foto à frente dos valentes uruguaios detidos em Santa Catarina. Veja a foto no filme e se divirta com a cara de bunda dos uruguaios babacas que viram o time perder a final da Libertadores e ainda pagaram um mico de serem pegos pela polícia e zoados pela santista.

O que você achou de a polícia de Santa Catarina deixar os torcedores do Peñarol irem embora? Foi melhor mesmo, ou mereciam uma cana?


Older posts

© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑