Bem que a cada falta na intermediária do Cruzeiro o artilheiro Borges pedia para que jogassem a bola na área. A única chance de o Santos empatar a partida era em uma jogada assim. Perdendo por 1 a 0, com um jogador a menos e dominado pelo adversário, o Alvinegro esperava um milagre.

E ele veio aos 44 minutos do segundo tempo. Felipe Anderson, que entrou no lugar de Roger, cobrou com precisão, bem naquele buraco que fica entre a defesa e o goleiro. Borges entrou, livre, e cabeceou para o chão.

Este empate de 1 a 1 caiu do céu para os reservas do Santos, que foram dominados pelo bom toque do time de Minas durante a maior parte do jogo.

Domínio que ficou maior por volta dos 15 minutos do segundo tempo, quando Vinícius Simon, hoje um pouco atrapalhado, recebeu o segundo cartão amarelo por uma falta boba e foi expulso.

O garoto Wallace, zagueiro que entrou no lugar de Tiago Alves, cometeu pênalti logo em sua primeira jogada. Montillo converteu e a partir daí parecia que o Santos se exporia a uma goleada.

Por muita sorte surgiu uma falta que Felipe Anderson cobrou para Borges marcar, porém Wallace atrapalhou o time novamente. Desta vez se esticando todo para cabecear e dando ao bandeirinha a impressão de que tinha tocado na bola, o que não ocorreu. Se não fizesse menção de ir na jogada, o Santos já poderia ter empatado naquele lance.

Quando tudo fazia crer que, se saísse um gol, seria para o time mineiro, surgiu a falta que, cobrada na área, resultou nesse saborosíssimo empate.

A sensação que essa não derrota me dá é tão boa, que nem vou criticar alguns jogadores que não me agradaram. Ao menos se empenharam. E há a desculpa, real, da falta de entrosamento. Prefiro elogiar o goleiro Aranha. Firme, calmo, o melhor do Santos. E não se pode deixar de admirar o oportunismo de Borges, que pegou pouco na bola, que não vinha, mas, quando o fez determinou o resultado.

Outros que eu ia criticar eram Alex Sandro e Felipe Anderson. Mas o lateral fez a boa jogada pela esquerda que provocou a falta, e Felipe Anderson está se revelando um exímio cruzador de bolas na área.

Com o empate, o Santos pula para cinco pontos e ao menos não estará tão distante dos ponteiros quando puder usar todos os titulares no Brasileiro, já que seus dois próximos jogos foram adiados para que possa se dedicar exclusivamente às finais da Copa Libertadores.

E o empate fez também com que o Alvinegro Praiano continue com uma vitória de saldo sobre o Cruzeiro, tanto no Campeonato Brasileiro, como no retrospecto geral dos confrontos que já tiveram.

Ah, e um detalhe: da cozinha, onde preparava a sopa para esta noite fria, a Suzana gritou, nos minutos finais, que o Santos ainda ia empatar. Não sei de onde ela tirou tanto otimismo. Mas não é que deu certo… Acabei de entrar no site da Soir Lingerie. Ela merece mais de um presente…

Bem, esta é a minha opinião. E a sua? O que achou do jogo e dos jogadores do Santos? Não precisa ser tão bonzinho como eu estou hoje.